Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

Polícia emboscada no réveillon

Um grupo de agentes da Divisão da PSP de Oeiras esteve em apuros na noite de Ano Novo. Chamado ao Bairro da Portela, em Carnaxide, Oeiras, por causa de um grupo de desordeiros que festejava o réveillon com corridas de automóveis e disparos para o ar, o contingente policial foi alvo de uma emboscada a tiro de caçadeira, pistola e revólver, que só terminou com a chegada de reforços.
5 de Janeiro de 2008 às 00:00
“Colegas contaram-me o medo que sentiram ao ouvir projécteis a zumbir perto das orelhas.” Foi desta forma que uma fonte policial resumiu ao CM os relatos de agentes que foram chamados à Portela naquela noite.
A chamada de alerta foi feita para a esquadra da PSP de Carnaxide por uma moradora da rua D. Luís de Castro, na Portela. A queixosa, afiançou que tinham acabado de atingir a tiro a janela de sua casa.
A gravidade da situação levou à mobilização de quase todo o efectivo disponível na zona: duas secções do piquete, duas patrulhas da esquadra de Carnaxide e elementos à civil, num total de cerca de 20 agentes.
Por precaução, o efectivo policial escolheu entrar apeado no bairro. As ruas do centro da Portela dão guarida a vários indivíduos referenciados.
A PSP, no entanto, nem tempo teve de tentar repor a ordem. Num ataque que pareceu concertado, ‘desabou’ sobre o efectivo policial uma chuva de tiros de caçadeira e revólver.
“Os disparos pareceram vir dos prédios das ruas Dr. Nuno Simões e Ferreira Lapa, e de automóveis estacionados naqueles locais. A juntar a isso, os agentes foram ainda atingidos por garrafas e pedras de grandes dimensões”, acrescentou outra fonte ouvida pelo CM.
Sob uma chuva de tiros, os agentes presentes no local defenderam-se com disparos de shotgun que fizeram abrandar, mas não parar, a agressão. A chamada de mais duas secções do piquete da Divisão de Oeiras pareceu dar aos agressores a sensação de inferioridade numérica, acabando assim com o ataque.
Nenhum agente ficou ferido, tendo sido possível efectuar a detenção de um homem, por posse de arma branca.
PROLIFERAÇÃO DE ARMAS
Após a troca de tiros com os desordeiros, a PSP recolheu invólucros de munições, que provam a proliferação de armas na Portela de Carnaxide, Oeiras. A PSP recolheu pelo menos 15 invólucros de pistola (calibres 6,35, 7,65, e 9 mm), de revólver (.38), e de arma de caça (calibre 12 mm). Apesar de nenhum agente ter ficado ferido, vários elementos policiais foram atingidos pela “chuva de bagos de chumbo” ocorrida durante o tiroteio na madrugada de Ano Novo.
BAIRRO PERIGOSO
ARMA ELÉCTRICA
A 19 de Dezembro, a PSP de Carnaxide prendeu um homem, já com seis anos de cadeia cumpridos, no Bairro da Portela, com uma arma eléctrica.
GANG DE JOVENS
‘W’, de 15 anos, e ‘F’, de 16, lideravam um gang de adolescentes da Portela de Carnaxide, que, em Setembro do ano passado, foi desmantelado pela PSP.
MENINO ATROPELADO
Igor Correia, um menino de cinco anos residente neste bairro, foi atropelado mortalmente nos primeiros dias de 2005. A criança foi morta durante uma
prova ilegal de street-racing.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)