‘Quintas a fundo’ levam Câmara de Santo Tirso a atacar a PSP

Critica dispositivo “desproporcionado e injustificado” para convívio motard semanal.
Por Manuel Jorge Bento|13.10.18
A Câmara de Santo Tirso é a legítima representante da população e não entende que essa competência e responsabilidade sejam assumidas por outras entidades." É desta forma que a autarquia liderada por Joaquim Couto critica a presença "desproporcionada e injustificada" da PSP nos convívios que juntam, todas as semanas, às quintas-feiras à noite, largas dezenas de motards no largo coronel Baptista Coelho. Questionada pelo CM, a PSP indica que atua face à "grave perturbação" da ordem pública.

O evento, promovido por um bar tirsense, tem sido amplamente criticado nas redes sociais, com referências ao "ambiente infernal" para os moradores. A PSP justifica o reforço policial com "a verificação recorrente de situações de alteração da ordem pública, ruído excessivo, veículos em situação irregular, condução perigosa e sob a influência de álcool, estacionamento desregulado e incivilidades diversas".

"Estacionam em cima dos passeios e nas passadeiras, circulam junto a esplanadas, geram excesso de ruído e de poluição, colocando em perigo os transeuntes e incomodando moradores", refere uma das denúncias. "A PSP assegura que irá continuar a desempenhar a sua missão de garantir a ordem, segurança e tranquilidade públicas", frisa aquela força de segurança.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!