Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

Submarino Albacora afunda no Tejo

O submarino Albacora, que se encontrava atracado no cais desactivado da antiga LISNAVE, na Margueira (Almada), afundou na quarta-feira, encontrando-se visível parte da estrutura à superfície do rio Tejo.
28 de Janeiro de 2011 às 18:55
Parte do submarino encontra-se visível à superfície do rio Tejo
Parte do submarino encontra-se visível à superfície do rio Tejo FOTO: DR

O Albacora, abatido ao efectivo dos navios de guerra há 10 anos, serviu como apoio logístico do Barracuda, estando a aguarda a entrega à Câmara de Portimão para integrar o espólio museológico.

Em comunicado, a Marinha salienta que a acção da água salgada e as condições meteorológicas a que ficou submetido desde que foi abatido ao efectivo deverão ter estado na origem do incidente.

"A Marinha já iniciou uma investigação para apurar as causas da diminuição da flutuabilidade do Albacora, que levou ao assentamento da sua parte posterior, a ré, no fundo", pode ler-se no mesmo documento.

Apesar do incidente, a Marinha afirma que não existe risco quer para a navegação quer para o ambiente.

"Apesar de permanentemente vigiado pela Marinha, com pessoal e câmaras de vídeo, o assentamento foi tão rápido que não foi possível evitá-lo", reforça o comunicado, que acrescenta ainda que já foram iniciados "trabalhos para garantir que o navio volte à sua posição normal o mais depressa possível".

Os meios utilizados no resgate do submarino serão exclusivamente da Marinha, pelo que a operação "não que não comporta custos acrescidos".

Os trabalhos vão decorrer durante as próximas semanas e servirão para treino de mergulhadores.

Marinha submarino afunda lisnave tejo margueira
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)