Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

UM PEDIDO À MODA ANTIGA

A avó de Célia Pereira fez questão de falar a sós com o noivo da neta para informar-se da bondade das intenções dele em relação à sua “menina”. Não foi bem um “interrogatório”, mas “andou lá perto”, brinca Nuno Barbosa.
11 de Maio de 2003 às 00:00
Sinal de que eram boas as intenções dele é que a Célia, de 21 anos, e o Nuno, de 29, são “noivos de Santo António” e casam no próximo dia 12 de Junho, na Sé.
O Nuno venceu a primeira ‘prova de fogo’ a 1 de Janeiro, quando falou com a senhora septuagenária. Deve ter-lhe causado boa impressão, pois foi autorizado não só a namorar com a neta, como a formalizar o pedido de casamento. De joelhos e com um anel de pedra solitária na mão.
“Ela é muito à moda antiga”, justifica o Nuno, adiantando ter antes “ameaçado” pôr-se de joelhos “no meio da rua” para pedir a jovem em matrimónio. Não foi no meio da rua. Foi na sala da família da Célia, sob os olhares da mãe e da avó dela e da mãe dele. “Célia, queres casar comigo?”, perguntou o Nuno, com os dois joelhos no chão, e ela disse “sim, sim”. “Foi lindo, é o sonho de qualquer mulher”, comenta, soltando o riso quando, envergonhada, lhe encosta a cabeça ao ombro.
O que a avó não pôde controlar foi a altura do primeiro beijo do par. “No dia 24 de Dezembro. Foi quando ‘começámos”, lembram. O dia 24 “de todos os meses” ganhou um lugar particular no calendário dos dois: “Saímos, jantamos fora, trocamos prendas.”
Estes noivos de Santo António trabalham juntos, há dois anos e meio, no Hotel D. Pedro, em Lisboa, e, desde essa altura, que sentiam “qualquer coisa” um pelo outro. “Havia um ambiente especial.”
Ele ia levá-la a casa, mas a amabilidade era pouco apreciada pela família da Célia. O obstáculo residia na “diferença de idades”, lembra o Nuno, reafirmando a simbologia de 24 de Dezembro: “Foi quando resolvemos não ligar ao que as famílias diziam.”
Pelo visto, fizeram bem, pois a da Célia rendeu-se à seriedade do rapaz. Foi até a mãe dela a sugerir que casassem pelo Santo António. “Já que se querem tanto casar, porque não vão pelos noivos de Santo António de Lisboa?’, foi o que a minha mãe disse. Nós aproveitámos a ideia e candidatámo-nos.” Foram seleccionados e, em resultado, o enlace, programado para 24 de Janeiro de 2004, foi antecipado.
A Célia – que vai escolher um “vestido de noiva com muitos botões”, para causar “dificuldades ao Nuno na noite de núpcias” – tem um apreço especial pelo santo casamenteiro, “embora sem razão de queixa de qualquer outro”.
Contudo, “um casamento como este é diferente porque, além de se ser abençoado por Deus, recebe-se a bênção de um santo”, acredita.
PERFIS
ELA
Nome: Célia Maria Afonso Pereira
Idade: 21 anos
Naturalidade: S. Sebastião da Pedreira, Lisboa
Residência: Campolide
Profissão: Empregada da indústria hoteleira
ELE
Nome: Nuno Miguel Amorim Barbosa
Idade: 29 anos
Naturalidade: S. Sebastião da Pedreira, Lisboa
Residência: Santo António dos Cavaleiros
Profissão: Empregado da indústria hoteleira
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)