Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Usam ossadas da avó em burla

Casal teve restos mortais durante quatro meses na despensa da residência. Vai ser julgado
29 de Maio de 2013 às 01:00

Cem euros de suborno bastaram, para que um coveiro da Junta de Freguesia de Alverca do Ribatejo, em Vila Franca de Xira, pegasse nas ossadas de uma pessoa não identificada, no cemitério daquela localidade, e as entregasse a um homem de 31 anos, que depois as trocou pelas ossadas da sua avó, num ossário. O objetivo era burlar a junta – exigindo vinte mil euros de indemnização.

O caso aconteceu em julho de 2011. Um casal, tal como o coveiro –a quem pagaram cem euros para ceder as ossadas– vai ser julgado em breve, por profanação de cadáver e por corrupção.

Homem e mulher dirigiram-se ao ossário da avó e trocaram a urna. Levaram os ossos da familiar na bagageira do carro e mantiveram a urna da idosa dentro da despensa de casa durante quatro meses. Depois, alegando que os serviços da junta tinham posto as ossadas erradas no ossário da avó, o casal pediu uma indemnização de 20 mil euros. Não receberam o dinheiro, pois o coveiro assumiu o crime. Afonso Costa, presidente da Junta de Alverca, disse ontem ao CM: "Mal tivemos conhecimento do caso abrimos um processo disciplinar ao coveiro, que ficou quatro meses suspenso". Na altura, o casal foi detido pela PSP, mas acabou liberto pelo juiz.

ossadas burla vila franca de xira
Ver comentários