Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
4

Armadores pedem defeso para polvo

Stock da espécie tem escasseado este ano.
Tiago Griff 22 de Outubro de 2017 às 09:49
Escassez leva armadores a questionarem viabilidade da pesca de polvo
Escassez leva armadores a questionarem viabilidade da pesca de polvo FOTO: Luís Costa
As associações e organizações de armadores da apanha do polvo da região estiveram esta semana reunidas em Lisboa para discutir a escassez da espécie, que se tem feito sentir especialmente este ano. Defendem uma paragem biológica de mais de um mês para recuperar os stocks.

"Atualmente, vou ao mar e apanho 10 ou 20 quilos de polvo, quando noutros anos era mais de 100 quilos. Começa a ser complicado porque já não justifica as despesas que temos com os barcos e a mão de obra", explica ao CM José Agostinho, presidente da associação de pesca do polvo Armalgarve.

Esta foi uma das dezenas de associações e organizações de todo o País que se juntaram, no passado dia 18, na sede da Direção Geral de Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos, para discutirem o estado atual da pesca do polvo. Para já, pediram que seja feita uma paragem biológica de 40 dias, para permitir o crescimento dos polvos, mas ainda não tiveram resposta do Governo.

"Temos de atuar com urgência. Estamos numa situação de colapso total", avisa ainda José Agostinho.
armadores polvo espécie Algarve
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)