Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
6

Doenças da tiroide. Cirurgia não invasiva retira nódulos e tumores sem cicatriz

O acesso à tiroide é feito pela axila ou pela boca do doente, o que evita marcas no pescoço.
Sónia Trigueirão 26 de Maio de 2018 às 09:21
Cirurgia
Jaime Vilaça, cirurgião geral
Davide Carvalho, presidente S. P Endocrinologia, Diabetes e Metabolismo
Cirurgia
Jaime Vilaça, cirurgião geral
Davide Carvalho, presidente S. P Endocrinologia, Diabetes e Metabolismo
Cirurgia
Jaime Vilaça, cirurgião geral
Davide Carvalho, presidente S. P Endocrinologia, Diabetes e Metabolismo

É um tratamento inovador, não invasivo, que permite retirar nódulos e tumores da tiroide sem deixar cicatriz. Ao contrário de uma cirurgia aberta convencional, em que é feita uma incisão diretamente no pescoço para retirar o nódulo, nas cirurgias endoscópicas transaxilar e transoral, o acesso à tiroide é feito pela axila ou pela boca do doente.

Jaime Vilaça, cirurgião geral, diz que são claros os benefícios em relação a uma cirurgia aberta. Desde logo, há a vantagem estética de não deixar uma cicatriz no pescoço. Além disso, a recuperação dos pacientes é menos dolorosa.

Em Portugal tem sido a equipa de Jaime Vilaça, do Hospital da Luz Arrábida (Porto), o motor do desenvolvimento destas técnicas. Tendo iniciado o programa de cirurgia endoscópica transaxilar em 2014, conta já com 90 doentes tratados.

No ano passado, a mesma equipa iniciou a abordagem transoral (acesso à tiroide pela boca) para tiroidectomia (remoção cirúrgica da totalidade ou de parte da tiroide), contando até agora com cinco casos.

De acordo com Jaime Vilaça, a limitação maior destas técnicas é o tamanho da tiroide. "Se o bócio [doença que pode caraterizar-se por um aumento do volume da tiroide ou pela presença de nódulos] for muito volumoso, poderá não ser possível a sua utilização", explica o especialista, sublinhando que, associadas a estas intervenções, "outras tecnologias emergentes fazem melhorar a qualidade cirúrgica". Por exemplo, "com o objetivo de diminuir os riscos para a voz, a utilização de neuromonitorização permite localizar e ajudar a preservar o nervo recorrente laríngeo". Segundo o cirurgião, "outra novidade é o uso de fluorescência para controlar a preservação das glândulas paratiroides, pequenos órgãos junto da tiroide, fundamentais para controlar o cálcio no organismo".

400 novos casos de cancro da tiroide
Cerca de 7 % das mulheres tem um nódulo palpável da tiroide e 400 novos cancros deste órgão são diagnosticados anualmente em Portugal. Os nódulos têm uma elevada incidência na população adulta jovem.

Discurso direto
Davide Carvalho, presidente S. P Endocrinologia, Diabetes e Metabolismo

"Ecografia é auxiliar precioso"
A que sintomas se deve estar atento?
Davide Carvalho - Ganho ou perda súbita de peso, pele seca e irritada, transpiração excessiva, cabelo áspero e quebradiço, unhas quebradiças, cansaço excessivo, insónias, sonolência, ansiedade, irritabilidade, desmotivação.

Como é feito o diagnóstico?
Davide Carvalho -  A palpação da tiroide permite diagnosticar os nódulos, na maioria dos doentes. Em caso de dúvida, a ecografia é um auxiliar precioso.

Que tratamentos existem?
Davide Carvalho - A maioria dos nódulos é benigna e o tratamento passa pela vigilância. Caso sejam malignos, o tratamento passa pela cirurgia e a terapêutica de escolha, complementada, se necessário, com o iodo radioativo.

Saiba mais sobre esta doença no guia prático Médico em Casa, todos os dias nas bancas com o Correio da Manhã. 

Sintomas (Hipertiroidismo)
  • Bócio
  • Perda de peso apesar de aumento de apetite
  • Fraqueza e cansaço fácil
  • Palpitações e aumento da frequência cardíaca
  • Hipertensão arterial
  • Irritabilidade e ansiedade
  • Tremor das mãos
  • Insónia
  • Intolerância ao calor e transpiração excessiva
  • Queda de cabelo e fraqueza das unhas 
  • Diarreia
  • Alterações da menstruação

Sintomas (Hipotiroidismo)
  • Bócio
  • Cansaço fácil
  • Humor depressivo
  • Problemas de memória 
  • Intolerância ao frio e mãos frias 
  • Aumento de peso
  • Obstipação
  • Pele seca
  • Dores musculares e formigueiro
  • Irregularidades menstruais
  • Cabelo seco e fraco
  • Mixedema
  • Anemia
  • Aumento do colesterol

Como se trata
Em caso de hipertiroidismo, o tratamento consiste na maioria dos casos na administração de fármacos antitiroideus (propiltiouracil ou metimazol), iodo radioativo ou remoção cirúrgica do tumor. 
No hipotiroidismo, o tratamento é feito com a administração da hormona da tiroide (tiroxina) em comprimidos. É importante o acompanhamento médico regular, de modo a ajustar as doses da medicação. Quanto ao tratamento do bócio, geralmente é feito de acordo com as causas e sintomas, com fornecimento de iodo ou hormonas da tiroide. Nos casos mais graves, o paciente pode mesmo ter de ser submetido a uma cirurgia ou iodo radioativo. O tratamento da tiroidite depende da causa, sendo que nos casos de infeção bacteriana é necessário o uso de um antibiótico.
Em relação aos grandes nódulos e cancro da tiroide, o tratamento é feito com cirurgia para remoção de parte da tiroide ou de toda a glândula, geralmente seguida de radioterapia ou iodo radioativo com a subsequente substituição das hormonas da tiroide. 
Os nódulos mais pequenos poderão ser tratados apenas com reposição de hormonas da tiroide. 
Ver comentários