Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
6

Doentes retirados à força de lar

Em causa, o final dos apoios do Estado à Casa de Santo António, em Albergaria-a-Velha.
Nelson Rodrigues e Francisco Manuel 28 de Dezembro de 2017 às 08:36
A carregar o vídeo ...
Doentes retirados à força de lar
Foram 11 os doentes retirados da unidade de cuidados continuados da Casa de Santo António, em Albergaria-a-Velha, durante o dia de ontem. Em causa está o final do contrato da Segurança Social e da Administração Regional de Saúde (ARS) Centro com a instituição. Os familiares dos utentes transferidos, alguns em fase terminal ou que necessitam de cuidados permanentes, estão revoltados com esta decisão e atestam que os mesmos foram levados para instituições longe da morada de residência.

"Não temos transporte para ir para outra unidade. Não faz sentido andarem com as pessoas de um lado para o outro. São pessoas em fase final da vida e que merecem morrer dignamente", disse ao CM Fátima Martins, cujo cunhado está em fase terminal.

"Estou revoltada porque os doentes vão para um sítio mais longe, que não conhecemos. Só quero que o meu marido seja bem tratado. E aqui era. Até apresentou melhorias. Antes não falava nem andava. Agora já nos reconhece", referiu Ana Paula Monteiro, que tinha o marido na instituição desde fevereiro - após sofrer um derrame cerebral e um AVC.

Os 11 doentes foram transferidos para a Misericórdia de Águeda e para o Centro Paroquial e Social de Santa Marinha, em Avanca (Estarreja). Ao CM, a Casa de Santo António refere que o contrato com a Segurança Social e a ARS terminou porque a instituição "não compactuou com o sistema instalado de controlo, com contratos paralelos, jogos de influência e subserviência institucional com outros interesses que não o dos doentes".

Resposta da ARS Centro
Ao Correio da Manhã, a Administração Regional de Saúde do Centro referiu que "a não renovação prende-se com a avaliação das necessidades e as condições de funcionamento da instituição".

Segurança Social
O CM contactou a Segurança Social mas não obteve resposta até ao fecho desta edição. No contrato, agora findado, estavam em causa 20 camas de média duração e reabilitação e 30 camas de longa duração.

Conferência de imprensa
A Casa de Santo António vai realizar hoje uma conferência de imprensa, onde promete denunciar "factos extremamente graves respeitantes à atuação da ARS e Segurança Social".

Contrato até domingo
Há familiares de utentes que ainda não assinaram os documentos a aceitar a transferência para outras instituições. O prazo termina no domingo. "Fomos pressionados a aceitar a mudança. Mas vou resistir até ao final", contou uma familiar.
Ver comentários