Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
8

Falta de funcionários fecha Escola D. Pedro I em Vila Nova de Gaia mais cedo

Sede do Agrupamento de Escolas fechou às 15h00 e habitualmente fecha às 18h30.
Lusa 4 de Fevereiro de 2020 às 19:46
Sala de aula
Sala de aula FOTO: Edgar Martins
A Escola D. Pedro I, Vila Nova de Gaia, vai fechar a partir de quarta-feira às 15h00, cerca de três horas e meia mais cedo do que o habitual, por falta de funcionários, informou esta terça-feira a associação de pais.

"A decisão foi tomada pela direção [da escola] e compreendemos. Atingiu-se um limite e, mais do que o transtorno que é causado aos pais, está em causa a segurança das crianças e a segurança é prioritária", disse à agência Lusa o presidente da associação de pais da escola, Carlos Gonçalves.

Em causa um equipamento escolar com cerca de 1.000 alunos do 5.º ao 9.º anos de escolaridade, localizado na freguesia de Canidelo, no concelho de Vila Nova de Gaia, distrito do Porto.

A D. Pedro I é a escola sede do Agrupamento de Escolas com o mesmo nome que, no total, soma nove equipamentos escolares.

Carlos Gonçalves descreveu, à Lusa, que a comunicação sobre o encerramento da escola foi feita pela direção de agrupamento com o envio de avisos aos pais através dos alunos, bem como através dos diretores de turma.

Na comunicação lê-se que, "por falta de assistentes operacionais, é impossível manter em funcionamento alguns serviços da escola e a vigilância dos recreios, ficando em causa a segurança dos alunos".

A escola fechará às 15h00, quando habitualmente fecha às 18h30.

"Na prática não há aulas de tarde. A escola estará aberta até às 15h00, para que os alunos ainda consigam almoçar antes de ir para casa", descreveu a associação de pais.

Já de acordo com o presidente da Federação das Associações de Pais do Concelho de Gaia (FEDAPAGAIA), José Cardoso, o número de "funcionários atribuído a esta escola é de 18, mas, em alguns dias estão 11 ao serviço e, em outros, 12, devido a baixas prolongadas".

Carlos Gonçalves e José Cardoso participaram esta tarde numa "reunião de emergência" com a direção de agrupamento e estão a preparar uma reunião com os pais para, conforme disseram à Lusa, "definir medidas a tomar".

"Temos acompanhado as comunicações da direção junto da DGEstE [Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares] e nós próprios também já fizemos comunicações e pedimos esclarecimentos, mas sem qualquer resposta. Vamos continuar a exigir celeridade na resolução deste problema", disse o presidente da associação de pais.

Também a Direcção da Organização Regional do Porto (DORP) do PCP alertou, em comunicado, para esta situação, acrescentando que os deputados comunistas "pedirão explicações ao Governo, solicitando que intervenha assegurando a rápida resolução do problema".

"Esta situação extrema, que só acontece por manifesta falta de alternativa, reflete o estado em que se encontram vários agrupamentos deste concelho. Um problema, infelizmente, registado também noutros concelhos", refere o comunicado do PCP.

O Ministério da Educação revelou hoje que "ainda esta semana" vai reunir-se com a direção da Escola D. Pedro I, em Vila Nova de Gaia, que vai fechar a partir de quarta-feira mais cedo por falta de funcionários.

"Ainda esta semana haverá nova reunião com a direção da escola, no sentido de clarificar os procedimentos adotados", referiu, em resposta escrita à agência Lusa, o Ministério da Educação.

A Lusa contactou o gabinete do ministro Tiago Brandão Rodrigues no sentido de obter esclarecimentos sobre esta situação, tendo a tutela revelado que "os serviços do Ministério da Educação deram as respostas ajustadas às situações apresentadas pela direção da escola" e que, "além dos concursos de contratação de assistentes operacionais, com a consequente bolsa de substituição, o ministério atribuiu um reforço de horas".

Ainda de acordo com a resposta da tutela, esse reforço de horas foi autorizado "em novembro, para complementar, igualmente, as ausências de trabalhadores que se encontravam de baixa".

"Não sendo entendível como, passados três meses, esses funcionários ainda não estejam ao serviço, ainda esta semana haverá nova reunião com a direção da escola, no sentido de clarificar os procedimentos adotados", termina a resposta.

Ver comentários