Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
3

Família de bebé-milagre pede esclarecimentos

Avós maternos querem reunião com responsáveis hospitalares.
Bernardo Esteves 11 de Junho de 2016 às 02:25
Família de bebé-milagre pede esclarecimentos
Família de bebé-milagre pede esclarecimentos FOTO: Vítor Mota
Os avós maternos de Lourenço – bebé que nasceu terça-feira no Hospital de S. José, após 15 semanas de gestação com a mãe em morte cerebral – querem reunir-se com os responsáveis do Centro Hospitalar de Lisboa Central (CHLC). Segundo apurou o CM, a família da mãe, Sandra Pedro, pretende que o hospital esclareça qual a validade das declarações feitas pelo pai, Miguel Ângelo, de 38 anos, durante uma reunião em que assumiu não ter condições para criar o filho.

Nesta reunião, com os responsáveis clínicos e os familiares, os avós da criança manifestaram de imediato vontade de ficar com a custódia do neto. O pai diz agora que pretende afinal ficar com a guarda do filho, pelo que a família materna pede uma tomada de posição esclarecedora do hospital.

Ao CM, fonte oficial do CHLC lembra que é o Ministério Público que tem a tutela do bebé desde que foi declarada a morte cerebral da mãe, no dia 2 de fevereiro. O CHLC remete assim uma decisão sobre a criança para o Ministério Público.

A mudança de posição do pai está a indignar os vizinhos de Sandra, no bairro das Bragadas, na Póvoa de Santa Iria (Vila Franca de Xira), que não reconhecem capacidade a Miguel Ângelo para criar o filho. "Se for preciso, o bairro todo depõe contra ele", disse um vizinho. O facto de lhe ter sido concedida licença de viuvez na empresa onde trabalha também deixou os vizinhos incrédulos, uma vez que o casal viveu junto poucos meses. O CM contactou Miguel Ângelo e a família de Sandra, mas ninguém quis falar.
Ver comentários