Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade

Madeira recebe atualmente mais turismo nacional do que em 2019

Em junho, entraram nos estabelecimentos de alojamento turístico do arquipélago cerca de 71,6 mil hóspedes.
Lusa 30 de Julho de 2021 às 16:17
As piscinas da praia de Porto Moniz, na Madeira
Piscina do Pestana Quinta do Arco Nature & Rose Garden Hotel, na Madeira.
As piscinas da praia de Porto Moniz, na Madeira
Piscina do Pestana Quinta do Arco Nature & Rose Garden Hotel, na Madeira.
As piscinas da praia de Porto Moniz, na Madeira
Piscina do Pestana Quinta do Arco Nature & Rose Garden Hotel, na Madeira.
O número de dormidas geradas pelo mercado nacional na Madeira, em junho de 2021, superou os valores de 2019, com mais 21,1%, informou esta sexta-feira a Direção Regional de Estatísticas (DREM) do arquipélago.

"Note-se que face a junho de 2019, a variação nas dormidas produzidas por residentes em Portugal foi de +21,1%, enquanto no caso dos residentes no estrangeiro fixou-se nos -65,5%. Os hóspedes entrados com residência no país terão sido de 35,6 mil, valor muito próximo dos residentes no estrangeiro, que foram 35,9 mil", pode ler-se no comunicado da DREM.

Segundo o documento, em junho do presente ano entraram nos estabelecimentos de alojamento turístico do arquipélago cerca de "71,6 mil hóspedes, que originaram 366,4 mil dormidas", o que indica uma variação expressiva em relação ao ano transato de +1027,5% no número de hóspedes e de +1749,2% nas dormidas.

Já as dormidas de residentes em Portugal tiveram um aumento de 693,6% relativamente a 2020, atingindo as 141,1 mil, representando 38,5% do total. Em relação aos residentes no estrangeiro, houve um aumento de 10.997% relativamente a junho de 2020, situando-se em 225,3 mil.

Em junho do ano homólogo, com as medidas inerentes à pandemia, a atividade turística registou apenas 6.347 hóspedes e cerca de 19,8 mil dormidas.

"Contudo, se se comparar junho de 2021 com junho de 2019, as quebras ainda são evidentes, com o número de hóspedes entrados a cair 46,0% e as dormidas 52,4%", menciona ainda a mesma nota, ressalvando que o valor das dormidas de junho de 2021 "é o mais elevado desde o início da pandemia".

O setor do alojamento turístico na região registou -34,4% no primeiro semestre de 2021, do que em igual período de 2020, totalizando 965,6 mil dormidas.

"No país, em junho de 2021, o mercado interno (peso de 58,7%) contribuiu com 2,0 milhões de dormidas e os mercados externos com 1,4 milhões. Comparando com o mês de junho de 2019, observaram-se decréscimos de 7,6% nas dormidas de residentes e de 72,0% nas de não residentes", refere a direção regional.

Na Madeira, os principais mercados externos registaram uma "forte recuperação em termos de dormidas" em relação a maio, apontando uma subida de 52,9%.

O mercado proveniente do Reino Unido contabilizou 44 mil, da Alemanha 35 mil e França 25,3 mil.

"Em junho, 42% dos estabelecimentos de alojamento turístico terão estado encerrados ou não registaram movimento de hóspedes. A hotelaria contabilizou, no mês de referência, 71,6% dos estabelecimentos com movimento de hóspedes (60,8% em maio)", menciona a DREM.

As dormidas do alojamento turístico, nos primeiros seis meses, apresentam uma quebra de 40,8%, uma variação mais penalizadora que a verificada a nível nacional (-21,3%), anunciou a direção regional, referindo que "para efeitos de comparabilidade com os dados divulgados pelo INE [Instituto Nacional de Estatística] é necessário excluir o alojamento local com menos de 10 camas.

Segundo o último boletim epidemiológico publicado pela Direção Regional da Saúde (DRS), a Madeira diagnosticou 16 novos casos de covid-19 e mais 24 doentes recuperados nas últimas 24 horas, registando a região 241 situações ativas.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 4.202.179 mortos em todo o mundo, entre mais de 196,5 milhões de casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o balanço mais recente da agência France-Presse.

Em Portugal, desde o início da pandemia, em março de 2020, morreram 17.344 pessoas e foram registados 966.041 casos de infeção, segundo a Direção-Geral da Saúde.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em países como o Reino Unido, Índia, África do Sul, Brasil e Peru.

Mais informação sobre a pandemia no site dedicado ao coronavírus - Mapa da situação em Portugal e no Mundo. - Saiba como colocar e retirar máscara e luvas - Aprenda a fazer a sua máscara em casa - Cuidados a ter quando recebe uma encomenda em casa. - Dúvidas sobre coronavírus respondidas por um médico Em caso de ter sintomas, ligue 808 24 24 24
Ver comentários