Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
6

Mais de 3 mil empregos para a Saúde e a Educação

Reposição das 35 horas semanais de trabalho terá um custo previsto de 20 milhões.
José Rodrigues 11 de Agosto de 2016 às 08:22
Enfermeiros em  greve exigem a contratação de mais profissionais
Enfermeiros em greve exigem a contratação de mais profissionais FOTO: Pedro Noel da Luz
O regresso das 35 horas semanais de trabalho na Função Pública atingiu essencialmente os setores da Saúde, Educação e Justiça, obrigando o Governo a garantir emprego a 3891 funcionários. O custo das medidas de compensação ronda 20 milhões de euros.

Com o objetivo de saber os constrangimento decorrentes da reposição das 35 horas, o Governo mandou fazer em março um inquérito sobre o impacto da medida. Num memorando desse inquérito enviado esta quarta-feira ao CM pelo Ministério das Finanças, o Governo assume ser necessário contratar, "de forma faseada, mais mil enfermeiros", sendo o impacto financeiro de 19 milhões de euros por ano". Em defesa da contratação de mais enfermeiros e pagamento das horas extraordinárias, o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses tem em curso uma greve. Ontem, a paralisação foi em Portimão e Lagos. Amanhã e depois será no hospital de Faro.

Na Educação, a solução foi a "renovação de 2621 contratos a termo resolutivo certo" de assistentes operacionais e colocar nas escolas 270 trabalhadores que estavam na requalificação", reforçando, assim, os assistentes operacionais. Na área da Justiça, o caminho encontrado passa pelo pagamento de 900 mil euros em horas extra aos guardas prisionais. No total, foram criados ou garantidos 3891 empregos.
Ver comentários