Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
6

Marcelo enaltece percurso notável e pioneiro na investigação de Odette Ferreira

Morreu este domingo pioneira na investigação da SIDA em Portugal.
Lusa 7 de Outubro de 2018 às 19:27
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa, presidente da República
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa, presidente da República
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa, presidente da República
O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, prestou hoje homenagem pública a Odette Santos-Ferreira e apresentou as condolências pela sua morte, enaltecendo "um percurso notável e que foi pioneiro na investigação e na academia".

A ex-presidente da Comissão Nacional de Luta Contra a Sida Odette Santos-Ferreira, que foi pioneira na investigação da doença em Portugal, morreu hoje, aos 93 anos, disse à Lusa fonte oficial da Ordem dos Farmacêuticos.

"O Presidente da República apresenta as mais sentidas condolências à família e amigos e presta pública homenagem à Professora Odette Santos-Ferreira, enaltecendo um percurso notável e que foi pioneiro na investigação e na academia", pode ler-se numa nota na página oficial da Presidência da República.

A professora, destacou Marcelo Rebelo de Sousa, "teve um o papel fundamental na investigação sobre a SIDA em Portugal e no estrangeiro".

"Esse trabalho, que a levou à identificação do HIV de tipo 2, foi, porventura, o marco mais conhecido dum percurso longo, persistente e notável de serviço à ciência e à comunidade", elogiou.

É precisamente esse percurso que, "em nome do país e dos portugueses, o Presidente da República lembra, considerando que "fica como referência para a Ciência e a Saúde em Portugal".

Em fevereiro deste ano, Odette Santos-Ferreira foi condecorada por Marcelo Rebelo de Sousa numa cerimónia reservada, tendo recebido a grã-cruz da Ordem da Instrução Pública.

No princípio dos anos de 1980, Odette Santos-Ferreira caracterizou os primeiros casos de infeção por VIH em doentes originários da Guiné-Bissau com um quadro clínico de imunodeficiência, tendo identificado um grupo de amostras com um comportamento anormal face ao método de diagnóstico usado e que constituiu o ponto de partida para a descoberta do VIH do tipo 2.

Prossegue as investigações durante essa década, nomeadamente no Instituto Pasteur de Paris, autoridade de renome mundial na matéria, que acabaram por conduzir à descoberta do VIH do tipo 2.

Odette Santos-Ferreira foi coordenadora da Comissão Nacional de Luta Contra a SIDA, cargo que exerceu de 1992 a 2000, por nomeação do ministro da Saúde, tendo desenvolvido inúmeros projetos com impacto significativo na prevenção e disseminação da doença.

O projeto da sua autoria de maior impacto nacional e internacional foi a troca de seringa nas farmácias, denominado "Diz não a uma seringa em segunda mão", que teve como finalidade diminuir o risco de transmissão do VIH e de outras doenças transmissíveis (hepatitie B e C) à população toxicodependente por via endovenosa.

Este projeto foi considerado pela Comissão Europeia o melhor projeto apresentado por um país europeu, não só pela inovação, mas por ter sido possível desenvolvê-lo em todo o território nacional.
Ver comentários