Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
3

Por ano há 100 casos de aplasia medular

Registam-se todos os anos em Portugal cem novos casos de aplasia medular, a mesma doença que atinge Gustavo, o menino de três anos, filho de Carlos Martins, futebolista do Benfica (emprestado aos espanhóis do Granada) e da selecção portuguesa, e que aguarda por um transplante urgente de medula óssea.

20 de Novembro de 2011 às 01:00
A recolha de amostras de sangue é decisiva para determinar perfil genético de dadores
A recolha de amostras de sangue é decisiva para determinar perfil genético de dadores FOTO: Jose Miguel Rodrigues

No Instituto Português de Oncologia de Lisboa há três crianças que aguardam que seja definida a solução médica de tratamento, sendo que para uma delas já foi encontrado um dador compatível, disse ao CM o director do serviço de transplantação de medula óssea do IPO Lisboa, Manuel Abecasis.

O clínico é favorável ao transplante face ao tratamento, explicando que, no recurso ao soro antilinfático, associado a ciclospurina, a doença pode ressurgir ao fim de seis meses.

A aplasia medular caracteriza-se pela falência total ou parcial da medula óssea. As consequências são gravíssimas para o organismo, podendo levar, em caso extremo, à morte. A medula óssea produz células vitais como os glóbulos brancos, vermelhos e plaquetas. Os glóbulos vermelhos são importantes para o transporte de oxigénio, vital, por exemplo, para o funcionamento do cérebro. Por sua vez cabe aos glóbulos brancos combater as infecções. Já as plaquetas permitem a coagulação do sangue, que assim evita que após um corte ocorra uma hemorragia fatal.

Em Portugal, o transplante é também realizado no Hospital de Santa Maria (Lisboa) e no IPO Porto. A possibilidade de ser encontrado um dador compatível ronda os 70%. No Mundo, há 17 milhões de dadores.

CAMPANHAS PARA ENCONTRAR DADOR COMPATÍVEL

Cristiano Ronaldo colocou na sua página do Face-book dois vídeos – em português e inglês – a apelar à doação de medula para ajudar Gustavo Martins. Hoje, há recolhas em Alverca e Oliveira do Hospital.

DISCURSO DIRECTO

"RAPIDEZ NO INTERNAMENTO DETERMINA RESULTADOS", Manuel Abecasis Dir. de Transplantação IPO Lisboa

Correio da Manhã – Há factores determinantes no tratamento da aplasia medular?

Manuel Abecasis – A rapidez no internamento determina os resultados nas soluções médicas encontradas.

– Qual o tempo de recuperação após transplante?

– Após o transplante de medula óssea, o internamento dura cerca de seis semanas. Depois, a recuperação em casa prolonga-se por um período de dois anos.

– Qual a percentagem de casos em que o doente não sobrevive após um transplante de medula óssea?

– É na ordem dos dez a quin-ze por cento. No entanto, estes são casos em que os do-entes surgem no hospital já num estado muito avançado da doença.

O MEU CASO: GUSTAVO MARTINS

GUSTAVO VAI SER TRATADO EM LISBOA

Carlos Martins e Mónica Martins decidiram que o filho, Gustavo, seja tratado em Lisboa. A aplasia medular foi diagnosticada em Agosto, em Granada, e Gustavo tem sido tratado desde então em Espanha. O tratamento consiste em transfusões de plaquetas, de modo a evitar que a criança sofra hemorragias.

Contudo, os pais decidiram ouvir uma segunda opinião e, na segunda-feira, tiveram uma consulta com o director do serviço de Transplantação de Medula Óssea do Instituto Português de Oncologia de Lisboa, Manuel Abecasis. O clínico referiu ao Correio da Manhã que, da análise dos relatórios médicos, verificou-se que os espanhóis adoptam uma estratégia diferente de tratamento. Manuel Abecasis defende o transplante, com internamento tão rápido quanto possível, embora reconheça que o diagnóstico da doença do Gustavo Martins ainda não está fechado. O médico sugeriu o internamento no Hospital Dona Estefânia, até ser decidido se o transplante é a melhor solução.

Na quarta-feira, os pais de Gustavo lançaram um apelo à doação de medula, de modo a ser encontrado um dador para o filho. Gustavo fez três anos na quinta-feira.

HEMATOMA NO PÉ ALERTOU PAIS

Carlos Martins e a mulher, Mónica, aperceberam-se de que algo não estava bem na saúde do filho, quando, após uma pequena pancada, a criança desenvolveu um hematoma no pé. Os exames acabaram por revelar valores baixos de plaquetas. 

APLASIA MEDULAR SAÚDE DADOR TRANSPLANTE
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)