Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade

Trabalhadores dos Casinos Estoril e Lisboa manifestam-se contra encerramento

Trabalhadores acusam o Governo de estar a discriminar os casinos e aos seus funcionários.
Lusa 19 de Junho de 2021 às 17:27
Casino do Estoril
Casino do Estoril FOTO: Direitos Reservados
Os trabalhadores dos Casinos Estoril e Lisboa anunciaram este sábado que vão realizar uma manifestação junto à Assembleia da República a decisão do Governo de encerrar estes espaços, devido à situação pandémica nos concelhos de Lisboa e Cascais.

Em nota de imprensa enviada à agência Lusa, a Comissão Unitária Trabalhadores Estoril-Sol explica que a manifestação será realizada em data a anunciar e classificam a deliberação do Governo de "discriminatória".

A comissão salienta que, ao abrigo de duas resoluções do Conselho de Ministros, o Governo decretou o encerramento dos Casinos Lisboa e Estoril, "como se estes fossem verdadeiros focos de contaminação".

Os trabalhadores acusam o Governo de estar a discriminar os casinos e aos seus funcionários, visto que as restantes atividades se mantêm a funcionar, ainda que tenham algumas restrições de horário.

"Esta decisão governamental é altamente discriminatória para uma atividade que cumpre todas as normas sanitárias impostas pela Direção Geral da Saúde e revela um preconceito em relação às centenas dos seus trabalhadores", apontam.

Lembrando que, desde o início da pandemia, os Casinos da Estoril Sol já estiveram encerrados mais de 200 dias, dizem ainda que todos os constrangimentos que se têm verificado "colocam em causa a sustentabilidade da empresa, "com as naturais consequências negativas para os seus trabalhadores".

Na segunda-feira, quando ainda se desconhecia a decisão relativamente ao concelho de Cascais, a Estoril Sol já tinha considerado "algo surpreendente" a decisão do Governo de encerrar a atividade de jogo em Lisboa, numa altura que foi decidido que o concelho "se manteria na mesma fase de desconfinamento".

"Com efeito, ao contrário da maioria das empresas que mantém o funcionamento das suas atividades, a Estoril Sol vê-se obrigada a encerrar o Casino Lisboa, não obstante cumprir um rigoroso protocolo que inclui todas as normas e recomendações da Direção Geral da Saúde (DGS) e que se tem distinguido pela máxima proteção da saúde, segurança e bem-estar de todos os seus clientes e colaboradores", sustentava em comunicado.

Salientava ainda que os casinos da Estoril Sol "foram distinguidos com o certificado 'Clean & Safe' do Turismo de Portugal", tendo ainda os casinos Estoril e de Lisboa aderido ao selo de confiança 'Covid Out - Clean Surfaces Safe Places', emitido pelo ISQ, "o qual garante que foi avaliada a eficácia das medidas implementadas e assegura que os locais estão seguros".

Por seu turno, o presidente da Associação Portuguesa dos Empregados de Banca de Casinos (APEBC), em declarações à agência Lusa, no dia 11 de junho, criticou a decisão do Governo que levou ao encerramento da atividade de jogo em Lisboa, acusando o Estado de "preconceito" em relação ao setor.

"Grande parte dos rendimentos dos trabalhadores, neste caso, do Casino de Lisboa, 50% ou mais, são dados pelas gratificações do jogo", disse Gonçalo Portela, recordando que a profissão é das poucas "que pagam uma taxa liberatória ao Estado", ou seja, "há impostos pagos sobre estas gratificações".

Casinos Casino de Lisboa Estoril Assembleia da República Sol Direção Geral da Saúde Governo Cascais Estado
Ver comentários