Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
8

Troca de corpos em funerais

Viúvo ficou em choque quando viu não ia velar corpo da mulher.
Bernardo Esteves e Cristina Serra 14 de Fevereiro de 2015 às 09:30
Foi na capela mortuária da Igreja da Corredoura que a família percebeu, em choque, que tinha havido uma troca de cadáveres
Foi na capela mortuária da Igreja da Corredoura que a família percebeu, em choque, que tinha havido uma troca de cadáveres FOTO: Rui Minderico

A família de uma mulher de 62 anos que morreu esta semana ficou em choque quando, na quinta-feira à tarde, se preparava para velar o corpo na Igreja da Corredoura, em Santana (Sesimbra), e verificou que o cadáver era de outra mulher. Tratava-se do corpo de uma mulher da mesma faixa etária que deveria ter seguido para a Igreja do Pinhal Novo, Palmela. Já o cadáver que deveria ter sido transportado para Santana foi para o Pinhal Novo.

"O viúvo ficou em estado de choque. O corpo tinha a pulseira com o nome da esposa, mas era outra mulher", contou ao CM uma testemunha do incidente. Já no Pinhal Novo ninguém se terá apercebido da troca, porque o velório foi mais tarde. A troca, que foi entretanto corrigida, terá ocorrido no Instituto Nacional de Medicina Legal, em Setúbal. Ao CM, o médico-legista e coordenador Ferreira dos Santos negou a troca: "Desconheço totalmente essa situação. A entrega dos corpos decorreu com normalidade. Quando entram, são registados, autopsiados e depois entregues."

Ver comentários