Barra Cofina

Correio da Manhã

Tecnologia
6

Vício dos videojogos considerado distúrbio psiquiátrico

Será incluído, pela primeira vez, na lista internacional de doenças da Organização Mundial de Saúde.
26 de Dezembro de 2017 às 17:17
Vício dos videojogos vai ser considerado um distúrbio psiquiátrico
Vício dos videojogos vai ser considerado um distúrbio psiquiátrico
Consola de jogos
Consola de jogos
Vício dos videojogos vai ser considerado um distúrbio psiquiátrico
Vício dos videojogos vai ser considerado um distúrbio psiquiátrico
Consola de jogos
Consola de jogos
Vício dos videojogos vai ser considerado um distúrbio psiquiátrico
Vício dos videojogos vai ser considerado um distúrbio psiquiátrico
Consola de jogos
Consola de jogos

O vício dos videojogos vai ser considerado um distúrbio psiquiátrico pela Organização Mundial de Saúde (OMS), que vai incluir esta perturbação, pela primeira vez, na lista internacional de doenças no próximo ano.

A OMS tem vindo a inspecionar os videojogos nos últimos dez anos e concluiu que, em determinadas situações, jogar demasiado pode ser um problema de saúde mental. Por isso, a Organização resolveu incluir o distúrbio dos jogos eletrónicos na Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados com a Saúde, um manual de diagnóstico que fornece códigos relativos à classificação de doenças e de uma grande variedade de sinais, sintomas e causas externas para ferimentos ou doenças.

Ainda não é conhecido o nome deste distúrbio mas, para já, o rascunho retrata um conjunto de critérios que os médicos devem utilizar para avaliar se o hábito de jogo do individuo é um risco para a sua saúde mental ou não.

Segundo este rascunho, referido no jornal New Scientist, se o jogo tiver "precedência sobre os outros interesses da vida" do indivíduo, então este tem o distúrbio do jogo. Este comportamento de risco tem de se prolongar durante um ano antes de ser diagnosticado.

Vladimir Poznyak é membro do Departamento de Saúde Mental e Abuso de Substância da OMS e falou com o New Scientist sobre a importância do reconhecimento deste tipo de distúrbio como uma doença. "Os profissionais de saúde precisam de reconhecer que os distúrbios de jogo podem ter consequências sérias para a saúde dos indivíduos", diz Vladimir.

"A maior parte dos jogadores de videojogos não tem um distúrbio assim como a maior parte das pessoas que bebem álcool também não têm. No entanto, em certas circunstâncias, o excesso pode levar a efeitos adversos", acrescenta.

A Organização Mundial de Saúde considerou que o vício dos smartphones ou da Internet não são "distúrbios reais", justificando a ausência dos mesmos na sua lista de doenças.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)