Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media
1

Fernanda Serrano volta a ser vilã

A actriz prepara-se para regressar à TV, depois de ter sido mãe pela terceira vez e de vencer um cancro. Será Júlia, uma misteriosa viúva, na nova novela da TVI
23 de Abril de 2010 às 15:00
Fernanda Serrano veste a pele de Júlia, uma viúva calculista que vai despertar para o amor
Fernanda Serrano veste a pele de Júlia, uma viúva calculista que vai despertar para o amor FOTO: d.r.

Fernanda Serrano é a protagonista da novela da TVI ‘Bem me Quer, Mal me Quer', escrita por Rui Vilhena, onde interpreta uma advogada, viúva e com um filho. Júlia é uma mulher seca e calculista, com um mistério familiar, que vai infernizar a vida de uma cunhada. É neste papel de vilã, depois de ter vestido a pele de Débora em ‘Tu e Eu', de Manuel Arouca (TVI, 2007), que Fernanda Serrano regressa à televisão após ter sido mãe pela terceira vez e de ter vencido um cancro.

Em 'Bem me Quer, Mal me quer' , que ainda não tem estreia prevista, a personagem de Fernanda Serrano vai despertar para um novo amor. O protagonista masculino ainda não foi escolhido, mas o papel deverá ser atribuído, apurou a Correio TV, a Joaquim Horta ou a João Reis. Esse personagem vem de fora do núcleo central. Seja qual for o actor seleccionado, a química está garantida, como foi possível constatar em ‘Amanhecer', novela da TVI escrita em 2002 por Tozé Martinho. Nela, Fernanda Serrano era a prostituta Anabela, que vivia dividida entre o seu grande amor, o professor Luís Carlos (João Reis), e o proxeneta Hipólito (Joaquim Horta).

Na nova novela de Rui Vilhena, a actriz tem um conflito agudo com a cunhada, casada com o irmão do falecido marido, papel entregue a Maria João Luís. E é nesta história central do enredo que reside um mistério que assombra o percurso de Júlia. Trata-se de um segredo que envolve esta família logo no arranque da história. Nesse núcleo familiar, muitos não percebem o que aconteceu no passado e que levou as personagens à sua condição no presente.

Em 'Bem Me Quer, Mal Me Quer', Fernanda Serrano assume um papel ao estilo de Luísa Albuquerque, a vilã interpretada por Alexandra Lencastre em ‘Ninguém como Tu' (2005, TVI), também da autoria de Rui Vilhena, que acredita que os vilões são sempre personagens mais interessantes. Contudo, Júlia não será uma imitação de Luísa, até porque o seu perfil é diferente. Enquanto Luísa era uma mulher expansiva e mais eléctrica, Júlia é uma pessoa introvertida, calculista e muito seca nos seus relacionamentos. Nesta nova produção, a personagem de Fernanda Serrano vive de rendas que o marido lhe deixou, embora mantenha a sua profissão. Já a cunhada é uma mulher sustentada pelo marido e que vive numa casa que pertence a Júlia. Em ‘Bem me Quer, Mal me Quer', como já vem sendo hábito nas novelas de Rui Vilhena, também haverá temas muito actuais, cujo objectivo é gerar polémica. Para já, não está prevista uma relação homossexual na nova novela, como tem acontecido em todas as obras do autor, mas a Correio TV sabe que poderá haver uma surpresa nesse sentido.

Neste momento estão a ser escritos os primeiros dez de um total de 120 episódios que constituem a novela, produzida pela Plural e com exteriores maioritariamente gravados em Lisboa, num ambiente urbano. O elenco de ‘Bem me Quer, Mal me Quer' conta ainda com Dalila Carmo, Marco Delgado, Helena Isabel, Maria João Bastos, São José Correia, Paula Neves, Manuela Couto, Rita Salema e Pedro Granger, entre outros. Joana Solnado é outra hipótese nesta fase em que a TVI está a fechar o elenco. Dalila Carmo é Sofia, mulher um pouco neurótica, muito sonsa e dissimulada, que se torna numa personagem engraçada pelas coisas que diz e situações em que se envolve. À Correio TV Marco Delgado diz-se 'ansioso para voltar a trabalhar com a Fernanda [Serrano]. É uma das nossas melhores actrizes e todos estamos com saudades de a voltar a ver trabalhar'. E acrescenta: 'O Rui Vilhena cria sempre personagens fortes, com grandes conflitos interiores e cenas intensas e dramáticas. Isso são rebuçados, são bombons para os actores'. Na novela, Marco Delgado interpreta um realizador que dirige um programa jornalístico do género ‘Grande Entrevista', da RTP 1. O programa tem convidados reais em entrevistas breves a pessoas famosas. A primeira figura pública convidada, por exemplo, é uma cara conhecida do desporto.

LIVRO DE RUI VILHENA É ADAPTADO PARA CINEMA

A actividade do autor de ‘Bem me Quer, Mal me Quer' não se limita aos guiões de novelas. Na verdade, Rui Vilhena entregou recentemente à editora Esfera dos Livros o seu livro ‘Doces Tormentos', que já estava vocacionado para ser adaptado ao cinema. Trata-se, como explica o próprio à ‘Correio TV', de 'uma comédia romântica'. O argumentista revela: 'O lançamento do livro vai ser um evento completamente diferente do habitual'. Depois de lançada a obra, a FBF Filmes começa a preparar as filmagens de ‘Doces Tormentos'. Ao que tudo indica, o filme começará a ser rodado ainda este ano, provavelmente em Setembro, e, segundo o argumentista, 'o elenco reúne actores bastante conhecidos'. Rui Vilhena nasceu em Moçambique, em 1961. Estudou no Brasil, tendo feito o bacharelato em Comunicação Social no Rio de Janeiro. Na área do guionismo, estudou na Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA), onde terminou o Programa de Escritores (1991-1993) e no El Camino College, também em Los Angeles, (1993-1994), onde frequentou o curso de produção para TV e Cinema. São da sua autoria ‘Reformado e Mal Pago' (1996, RTP) ‘Terra Mãe' (RTP, 1998), ‘O Café da Esquina' (2000, RTP), ‘Bastidores' (2001, RTP), ‘Tempo de Viver' (2006, TVI), ‘Ninguém como Tu' (2005, TVI), ‘Olhos nos Olhos' (2008, TVI) e ‘Equador' (2009, TVI).

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)