RESCISÃO NA OPERAÇÃO TRIUNFO

Rodrigo, o primeiro concorrente a ser expulso do concurso “Operação Triunfo” (RTP 1), acabou de rescindir, de comum acordo, o seu contrato com a Gestmusic, a produtora do programa. Quem o revelou ao CM foi João Sena, pai do aluno, que aquando do espectáculo que decorreu no Du Art Garden, no Casino Estoril, se insurgiu por considerar que o filho estava a ser discriminado, uma vez que, ao contrário da maioria dos ex-concorrentes, interpretou apenas um tema a solo.
07.05.03
  • partilhe
  • 0
  • +
RESCISÃO NA OPERAÇÃO TRIUNFO
Rodrigo, o primeiro aluno expulso da OT, rescindiu o contrato Foto Arquivo CM
“O Rodrigo vai agora começar uma carreira desligada da ‘Operação Triunfo’. Quero, no entanto, adiantar que o contrato foi anulado de mútuo acordo, sem que a Gestmusic levantasse qualquer tipo de problema”, adianta João Sena.
Recorde-se que depois de ter terminada a gala que reuniu no Casino Estoril os ex-alunos da “OT”, João Sena se queixou ao CM. “Acho que a produção tem medo que o Rodrigo os ultrapasse. Se a produção quer fazer alguma coisa que faça igual para todos. Por isso, digo que o meu filho foi discriminado, não sei porquê, só se for por ele vir do estrangeiro, mas ele é português como os outros”. Esta declaração levou a produtora a reagir de imediato.
“Do que foi dito na altura não retiro nem uma palavra. Achei e acho que o Rodrigo foi discriminado mas isso faz parte do passado”, acrescenta.
Depois de ter acusado a Gestmusic de não tratar os concorrentes da mesma maneira, João Sena recebeu um telefonema de Paula Moura, responsável pela produtora. “A directora ligou-me, muito exaltada, e eu disse-lhe que tinham mérito pelo tempo que despendem com os alunos, mas que tinham de verificar se estavam a tratar todos com igualdade. É que mesmo que tenha sido sem intenção – e eu não quero saber se houve intenção ou não – , a verdade é que o Rodrigo foi descriminado”.
João Sena adianta que depois de uma curta troca de palavras em que esclareceu a sua posição, Paula Moura foi, de acordo com a suas palavras, “correctíssima” e, de comum acordo, os advogados de ambas as partes rescindiram o contrato de cinco anos que Rodrigo tinha assinado com a produtora do programa.
Mas, segundo João Sena, isto não quer dizer que se convidarem o filho para participar numa gala ou num espectáculo com os restantes alunos da “OT”, ele não vá e com muito gosto. “Se o convidarem naturalmente aceitará, desde que não seja para o diminuírem. O Rodrigo vem hoje [ontem] para a Bélgica para passar duas semanas comigo mas depois regressa a Portugal e estará aberto a qualquer convite que lhe fizerem para poder cantar livremente os temas que mais gostar e nas línguas que lhe apetecer”, adianta.
O CM contactou com Paula Moura que se encontrava em reunião e remeteu uma resposta para hoje.
CABO VERDE RENDIDO A SOFIA E FILIPE GONÇALVES
A gala do programa da RTP 1, “Operação Triunfo” trouxe, no domingo, mais um motivo de orgulho para os cabo-verdianos, particularmente atentos, “por razões de sangue”, ao percurso de dois dos concorrentes mais apreciados daquele concurso musical.
Sofia Barbosa e Filipe Gonçalves, ambos de origem cabo-verdiana, ultrapassaram na última gala mais uma etapa rumo à final da prova, o que fez vibrar os numerosos fãs que já têm no arquipélago, e que seguem com verdadeira veneração as prestações semanais dos dois concorrentes via RTP África.
A euforia é tanta que já foram criados clubes de fãs, que se dedicam, semana após semana, a angariar votos, não só para Sofia e Filipe, mas também para outros concorrentes, desde que a permanência dos dois luso-cabo-verdianos não esteja em jogo. Depois da última interpretação de Sofia, “quase todos os cabo-verdianos conhecem, pelo menos, uma quadra do fado ‘Povo Que Lavas no Rio’”, imortalizado por Amália Rodrigues e interpretado recentemente pela concorrente realçou Nedyl Rosa, animador da Rádio Nacional de Cabo Verde.
CATARINA EM BRUXELAS PELAS NAÇÕES UNIDAS
Catarina Furtado foi ontem de manhã para Bruxelas para participar, na qualidade de Embaixadora de Boa Vontade do Fundo das Nações Unidas Para a População, num espectáculo de apoio aquele organismo que conta ainda com a presença do músico João Gil,– companheiro da apresentadora,– e da cantora Sara Tavares, lançada por ela no “Chuva de Estrelas”, da SIC.
O evento, que se realiza hoje, às 19 horas, na capital belga, é apresentado por Linda Gray, a actriz norte-americana que se destacou no papel de Sue Ellen em “Dallas”, a “soap opera” que a SIC Gold está a transmitir.
Neste espectáculo será apresentada uma campanha de apoio ao Fundo das Nações Unidas Para a População e visa também a angariação de fundos para este organismo.
Esta campanha designada “34 Milhões de Amigos” lançada por duas americanas que , a partir de suas casas, enviaram ‘e-mails’ a amigos, clubes e associações pedindo para que doassem um dólar ou mais para ajudar a criar um fundo que ajudou a prevenir gravidezes indesejadas, abortos, mortes pós-parto e mortalidade infantil.
SÉRGIO GODINHO
A gala de domingo tem como convidado Sérgio Godinho que canta com Joana “Pode Alguém Ser Quem Não É?”. A jovem interpreta ainda “Desfolhada Portuguesa”. Rui canta “Canoas do Tejo” e Rosete “True Colors”. Sofia fica com “I Say a Little Prayer” e Filipe S. com “With or Without You”. David interpreta “If You Love Somebody Set Them Free” e Filipe G. “Purple Rain”.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!