Barra Cofina

Correio da Manhã

Cm ao Minuto
7

Estudo prevê que coronavírus mate 15 milhões de pessoas... no melhor dos cenários

Economia de alguns países pode cair em 8% num colapso global.
Correio da Manhã 6 de Março de 2020 às 16:36
Economia de alguns países pode cair em 8% num colapso global.
Economia de alguns países pode cair em 8% num colapso global. FOTO: Reuters

Um novo estudo revela que o número global de mortos por coronavírus pode chegar aos 15 milhões, no melhor dos cenários.

O estudo realizado pela Universidade Nacional Australiana também revelou que o Produto Interno Bruto (PIB) pode sofrer uma queda em até 2,3 triliões de dólares.

Num cenário mais desastroso, o número de mortos pode chegar aos 68 milhões, incluindo centenas de milhares de mortos na Grã-Bretanha e nos Estados Unidos da América. Em caso de pandemia, a economia de alguns países pode diminuir em até 8% num colapso global.

Os investigadores que publicaram o estudo, Warwick McKibbon e Roshen Fernando, alertam que até um surto contido pode afetar significativamente a economia global num curto período de tempo.

Num cenário menos grave, estima-se que a taxa de mortalidade na China atinja os 2%. A taxa de mortalidade global tem atingindo valores cada vez mais altos e atualmente oscila em torno dos 3,4%.

O estudo estima ainda que mais de 15 milhões de pessoas morrerão no primeiro ano do surto, que teve origem na China, em dezembro do ano passado.

As estimativas apontam que a Índia e a China perderão milhões de pessoas, e que nos Estado Unidos sejam registados cerca de 23.000 óbitos.

Os investigadores referem ainda que as mortes estimadas por coronavírus podem comparar-se a uma temporada regular de gripe nos Estados Unidos, visto que morrem cerca de 55.000 pessoas a cada ano.

No caso da Grã-Bretanha, prevêm-se 64.000 mortes. Na Alemanha 79.000 e em França, 60.000. A Coreia do Sul e Itália, que nas últimas semanas têm vindo a sofrer surtos particularmente generalizados, também poderão ser afetadas com dezenas de milhares de mortes.

Neste cenário, o PIB da Grã-Bretanha cairia cerca de 1,5% com a economia dos EUA a diminuir 2,0%.

Num cenário mais grave, o surto de coronavírus pode causar um número catastrófico de mortes com mais de 68 milhões.

Na China, o número de mortes poderia atingir os 12 milhões de pessoas, e nos EUA, 1,1 milhão.

O número de mortes na Grã-Bretanha atingiria os 290.000, com a França e a Alemanha a perderem também milhares de pessoas.

Os dados dos investigadores mostram que a contagem de mortos na Rússia também pode chegar a um milhão.

Neste cenário desastroso, a economia global poderia cair em 9,2 triliões de dólares.

A economia britânica diminuiria cerca de 6,0% em 2020, pior do que a queda de 4,2% sofrida na crise financeira global de 2009.

Por seu lado, a economia americana iria sofrer uma queda de 8,4% numa recessão que se repercutiria em todo o mundo.

Num caso de média gravidade, o número global de mortes rondaria os 38 milhões e a economia global poderia cair em cerca de 5,3 triliões de dólares.

Contudo, os investigadores advertem para o facto que a probabilidade das suas previsões é altamente incerta. "O objetivo não é ser definitivo sobre o surto do vírus, mas fornecer informações importantes sobre uma série de possíveis custos económicos da doença" revelaram.

Os investigadores afirmaram ainda que as empresas de todo o mundo, independentemente do tamanho, dependentes dos lucros da China, começaram a sofrer contrações na produção.

O coronavírus já fez mais de 3000 mortos até ao momento, numa altura em que já se registaram mais de 100 mil casos mundialmente. A maioria dos casos de infeção encontram-se na China, mas o vírus tem vindo a propagar-se mais rapidamente noutros países. Em Portugal já há registo de 13 infetados.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)