Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
7

Legado de ‘génio’ aplaudido na rua

Cortejo fúnebre de Cunha e Silva percorreu Porto até à Lapa.
Manuel Jorge Bento 13 de Novembro de 2015 às 10:40
Paulo Cunha e Silva morreu na madrugada de quarta-feira devido a problemas cardíacos
Paulo Cunha e Silva morreu na madrugada de quarta-feira devido a problemas cardíacos FOTO: Eduardo Martins
Palmas à saída do Teatro Rivoli, numa paragem do cortejo fúnebre junto à Câmara do Porto e no último adeus, na Igreja da Lapa. A Cidade Invicta despediu-se na quinta-feira de Paulo Cunha e Silva, que morreu na quarta-feira, aos 53 anos. "Na linguagem dos portuenses que tanto o amavam e admiravam, não morreu. Porque legados como o seu não morrem nem fenecem", disse Rui Moreira no final da cerimónia fúnebre, prometendo continuar o desenvolvimento da cultura na cidade.

António Costa, Aguiar-Branco, Teresa Morais, Rosa Mota, Nuno Cardoso, Miguel Guedes e Capicua foram algumas das figuras da cidade e do País presentes na homenagem ao "génio" da Cultura, na marcha silenciosa, numa cidade em luto.
Cortejo fúnebre génio lapa porto funeral Paulo Cunha e Silva
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)