Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
2

Anderson empurra campeão para o título

O FC Porto venceu ontem o Nacional por 2-0 no Estádio do Dragão, mantendo-se na frente do campeonato quando faltam apenas dois jogos para o fim. O brasileiro Anderson foi finalmente titular e marcou o primeiro golo. Deu o segundo a Fucile, ambos na segunda parte de um jogo que o campeão ganhou com inteira justiça.
6 de Maio de 2007 às 00:00
O portista Anderson tenta ultrapassar o capitão do Nacional, Patacas, com Bruno atento ao desenrolar do lance
O portista Anderson tenta ultrapassar o capitão do Nacional, Patacas, com Bruno atento ao desenrolar do lance FOTO: João Abreu Miranda / Lusa
O FC Porto fez, aliás, uma boa primeira parte, mas sem conseguir marcar golos validados pelo árbitro. Duas vezes a bola entrou na baliza e o árbitro Cosme Machado assinalou foras-de-jogo. Mas há outro lance muito polémico, em que a bola é tirada sobre a linha depois de um cabeceamento de Adriano. O árbitro marca falta sobre o guarda-redes, que não é nada visível.
Sobretudo os dois laterais, Bosingwa e Fucile, jogavam bem, e o defesa-direito, nomeadamente, teve arrancadas com cruzamentos de golo certo que foram sendo esbanjadas de várias formas e também porque o guarda-redes Diego Benaglio defendia bem. O 3x5x2 do Nacional tinha muitas dificuldades perante o 4x3x3 portista, mesmo que a equipa de Jokanovic atacasse e às vezes com muitos jogadores.
A segunda parte foi algo diferente, porque o FC Porto não jogou tão bem. Mas veio a marcar depois da substituição dupla (Marek Cech/Jorginho, Paulo Assunção/Raul Meireles). Foi uma jogada entre Anderson, Adriano e Jorginho, com este a cruzar para Anderson marcar de primeira e pé esquerdo, no meio da área. Uma bonita jogada que dava uma justa vantagem, ampliada já nos cinco minutos finais num passe magistral de Anderson para Fucile marcar.
O Nacional não teve, em todo o jogo, uma jogada de golo claro, apesar de ter feito uma partida interessante – até à entrada da área. A equipa teve sempre marcação impiedosa a Anderson (por Cléber) mas não foi capaz de se libertar para a frente, apesar das iniciativas de Alonso, Diego José e Spadaccio.
POSITIVO: ANDERSON E OS LATERAIS
Anderson deixou uma enorme marca, mesmo que durante muito tempo tenha dado a sensação de cansaço. Mas a certa altura pegou na batuta e fez golo e meio. Fucile merece como nunca o seu primeiro golo e Bosingwa fez um jogo muito bom. João Paulo andou perto. Diego defendeu quase tudo e Ávalos acompanhou-o bem, no Nacional.
NEGATIVO: RICARDO COSTA
O público portista não tem confiança nele e ele insiste em não lha dar, o que é um problema. Ao Nacional, que se bateu bem, faltaram sempre 30 metros e a bola raramente chegou a Rodrigo. Alonso é bom jogador, mas com aquela velocidade não pode ser lateral em lado nenhum do Mundo.
ARBITRAGEM: DECISÕES DIFÍCIEIS
Cosme Machado teve decisões difíceis mas conseguiu levar o jogo a bem. Dois golos anulados ao FC Porto (um duvidoso) e ainda um outro em que marca falta a Adriano sobre o guarda-redes e a bola é tirada sobre a linha. A falta não parece existir. Outro lance deixou dúvidas, quando Lucho se preparava para rematar e Diego José toca na bola e em Lucho – o árbitro deu pontapé de baliza....
JESUALDO PEDE APOIO PARA P. FERREIRA
“Fizemos uma grande exibição. Marcámos dois golos e ficámos longe dos que merecíamos. E agora quero pedir à massa associativa do FC Porto para estar em Paços de Ferreira [próxima jornada] connosco, num jogo que antevemos muito difícil, mas que queremos ganhar para chegarmos ao título”, disse Jesualdo Ferreira no final da partida de ontem frente ao Nacional.
O técnico portista frisou que a vitória foi justa, que o jogo teve momentos de “grande futebol” e destacou ainda a dupla de centrais e o lateral-direito Fucile: “João Paulo é um enormíssimo profissional. Sempre trabalhou muito. Hoje teve uma oportunidade e provou que é um excelente jogador. Também Ricardo Costa esteve bem. De Fucile sublinho que actuou em condições físicas menos boas.”
Jokanovic, técnico do Nacional, deu os “parabéns” ao FC Porto: “Contra uma equipa que luta pelo título não é fácil jogar. Mas conseguimos enervá-la até sofrermos o primeiro golo. Depois, ficou tudo mais fácil para o FC Porto.”
FICHA DO JOGO
Local: Estádio Dragão, no Porto (39 628 espectadores)
Árbitro: Cosme Machado (Braga)
FC PORTO: Helton, Bosingwa, Ricardo Costa, João Paulo, Fucile, Lucho (Ibson 70 m), Paulo Assunção (Jorginho 56 m), Anderson, Cech (Raul Meireles 56 m), Lisandro, Adriano. Treinador: Jesualdo Ferreira
NACIONAL: Diego Benaglio, Patacas, Ricardo Fernández, Ávalos, Cardozo, Alonso, Cléber (Pateiro 61 m), Juliano Spadaccio, Bruno (Leandro Bonfim 72 m), Diego José, Rodrigo (Cássio 75 m). Treinador: Pedrag Jokanovic
Marcador: 1-0 Anderson (67 m) 2-0 Fucile (88 m)
Acção disciplinar: Amarelos: Cléber (37 m), Diego Benaglio (45 m), Bosingwa (76 m), Ricardo Fernandes (84 m) e Anderson (90 m 2 m)
Melhor jogador: Anderson
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)