Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
9

Collina põe fim à carreira

Pierluigi Collina, o árbitro mais conhecido em todo o Mundo, pôs fim à carreira, esta segunda-feira, desfiliando-se da Associação Italiana de Árbitros (AIA), que o havia acusado de conflito de interesses por aceitar um acordo de patrocínio.
29 de Agosto de 2005 às 13:04
Pierluigi Collina
Pierluigi Collina FOTO: d.r.
Não deixa de ser irónico que o mais reputado árbitro do Mundo termine uma carreira imaculada por a sa credibilidade ser posta em causa pela Associação Italiana de Árbitros. Mas assim foi.
Em conferência de imprensa na sua cidade natal de Viareggio, e sem esconder a emoção, Collina anunciou: "Depois de 28 anos (de carreira), decidi entregar a minha demissão à AIA. Não o consigo evitar. As pessoas precisam de acreditar num árbitro. No final, perdemos todos", disse.
Pierluigi Collina completou 45 anos de idade em Fevereiro último. Foi por cinco vezes eleito Árbitro do Ano. Dirigiu a final da Liga dos Campeões em 1999 e a final do Mundial de 2002. Ganhou reputação em todo o Mundo, pela sua careca característica, olhar duro e capacidade de decisão rápida e inflexível.
Em sua honra, a Federação Italiana de Futebol alterou as regras do jogo, prolongando a idade de reforma dos árbitro, o que permitiu a Collina continuar por mais um ano, uma vez que com os 45 anos atingiu a antiga idade máxima permitida.
A fama trouxe-lhe diversos contratos publicitários, mas o acordo de patrocínio firmado com a Opel por 800 mil euros/ano pôs fim à sua carreira. É que a Opel patrocina também um clube de futebol italiano, o AC Milão, razão pela qual a AIA acusou Collina de conflito de interesses. Collina não gostou que a sua honra fosse posta em causa e, tão incisivo e rápido como 'dentro das quatro linhas', demitiu-se da associação e pôs fim à sua carreira.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)