Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto

Nuno Gomes empurrou Rodolfo Moura da Luz

Rodolfo Moura não aguentou saber que a recuperação de Nuno Gomes iria ser entregue a um fisioterapeuta e bateu com a porta. Foi o último capítulo de uma relação intensa, mas amiúde salpicada de polémica, com os encarnados, apesar do apoio incondicional de José Veiga, responsável directo pela sua vinda para o Benfica, e do próprio Luís Filipe Vieira
11 de Julho de 2007 às 00:00
Rodolfo Moura pediu a demissão do departamento médico na passada semana
Rodolfo Moura pediu a demissão do departamento médico na passada semana FOTO: João Miguel Rodrigues
Os últimos tempos estavam a ser difíceis para Rodolfo Moura, consequência directa das polémicas que envolveram a recuperação de jogadores-chave, como Rui Costa, Simão e Nuno Gomes.
A exposição pública dos erros de diagnóstico e a pressão exercida pelos media levou Luís Filipe Vieira a proceder a uma pequena revolução no departamento clínico e, para o cinesioterapeuta, foi o princípio do fim.
O primeiro sinal foi dado por Quim, o primeiro lesionado da época. Ao contrário do que acontecia anteriormente, o jogador foi acompanhado a uma clínica para fazer exames por um dos médicos e Rodolfo Moura não gostou de se sentir ultrapassado. Mas a gota de água foi Nuno Gomes. Face ao atraso considerável na recuperação do atleta, João Paulo Almeida, em sintonia com o ortopedista António Martins, sugeriu que o atleta fosse entregue ao fisioterapeuta Telmo Firmino. Rodolfo Moura não resistiu a este ‘ultraje’ e fez saber, alto e em bom som, que não admitia ser subalternizado pelo fisioterapeuta. E, surpreendentemente, apresentou no próprio dia, ao cair da noite, a sua demissão, prontamente aceite pela SAD.
Apesar de ser conhecida a sua discordância em relação ao funcionamento da nova estrutura, a sua atitude apanhou tudo e todos de surpresa, acima de tudo pela rapidez com que tudo se passou.
Na primeira das três épocas que cumpriu no Benfica, Rodolfo Moura teve, sobretudo, de bater-se com a sombra de António Gaspar, seu grande rival no que se refere ao estatuto de fisioterapeutas mais mediáticos do desporto português. O cinesioterapeuta nunca conseguiu desenvencilhar-se desta comparação, apesar de o tempo ter provado aos jogadores que estavam na presença de um profissional incansável. Não foi suficiente e sair foi o epílogo natural. Agora, adensam-se rumores de que estará de volta ao FC Porto, clube que o projectou na ribalta do futebol português.
FIRMINO CONQUISTA JOGADORES
Apesar de ter treinado, ontem, sem limitações, Nuno Gomes só estará em condições de começar a jogar dentro de duas ou três semanas. Mas as evidentes melhorias na recuperação do n.º 21 podem já ser vistas como uma pequena vitória do novo fisioterapeuta, Telmo Firmino, que substituiu recentemente Rodolfo Moura. Aliás, o caso deste profissional, que até aqui coordenava as modalidades do clube, é mais uma prova evidente da aversão de Rodolfo Moura aos fisioterapeutas. Licenciado em Fisioterapia e docente na Escola Superior de Alcoitão e no Politécnico de Setúbal, Telmo Firmino trabalhava há dez anos na secção de basquetebol e ninguém desconhecia ser ele a melhor solução interna para figurar no departamento médico do futebol, que não dispunha de um único fisioterapeuta desde a chegada de Rodolfo Moura. Agora, em apenas duas semanas, o CM apurou que as primeiras impressões sobre Telmo Firmino não podiam ser melhores.
NÉLSON: "SINTO QUE ESTOU MAIS FORTE"
Nélson sente-se preparado para fazer uma época mais forte do que a anterior que, em seu entender, não correu tão bem. “Os sócios do Benfica têm de entender que todos têm momentos bons e maus. Mas o Nélson não é o único culpado pelo que aconteceu na época passada. Espero que este ano as coisas corram melhor”, desejou.
Esclarecendo que não ficou triste, apenas “magoado” com os assobios que ouviu, o lateral-esquerdo considerou que tudo isso “são águas passadas”, acrescentando que quando entrar em campo não pensará que as cenas se podem repetir: “Sinto-me mais forte e preparado para bons e maus momentos.”
A nível colectivo, Nélson espera um início de época diferente. “Vamos entrar com toda a força na 1.ª jornada, pois não queremos ser penalizados, como sucedeu com o Boavista, na época passada”, observou.
MANTORRAS LANÇA LIVRO POLÉMICO
Depois de Cristiano Ronaldo, é a vez de Pedro Mantorras lançar o seu livro. Uma biografia autorizada, escrita pelo jornalista da TVI, José Gabriel Quaresma, e editado pela Primebooks, de Jaime Cancela de Abreu.
No livro, Mantorras faz revelações escaldantes sobre a lesão que afectou o seu joelho direito, que o manteve afastado dos relvados durante dois anos e ainda hoje, reduziu, sobremaneira, as suas capacidades enquanto futebolista.
No livro, o jogador aponta culpados, adensando ainda mais as expectativas à volta das suas revelações. O ‘Livro Directo’, assim se chama, tem ainda a particularidade de incluir depoimentos de figuras gradas do futebol, como José Mourinho, Luís Figo e Vítor Baía.
O lançamento do livro terá lugar no próximo dia 22 no Fórum Almada.
APONTAMENTOS
CHEGOU JOÃO ALVES
João Alves, que deverá ser o novo treinador dos juniores, já se apresentou ontem, no Seixal, tendo-se reunido com Luís Filipe Vieira. O ‘luvas pretas’ teve a acompanhá-lo na visita às instalações do centro de estágio do Seixal, o administrador da SAD Rui Cunha, que agora supervisiona toda a área de formação, e os coordenadores máximos do sector, António Carraça e Manuel Ribeiro
PETIT LESIONADO
O médio encarnado fez uma contusão muscular na face lateral da coxa direita, motivo que o levou a ser substituído por Katsouranis dez minutos após o início do jogo com o HAMM do Luxemburgo e, ontem, ficou no ginásio. Luisão faz integração progressiva, continuando a fazer treino condicionado.
Ver comentários