Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
9

Pandemia atira Sporting para prejuízos de 6,9 milhões de euros

Volume de negócios baixou 32% num semestre em que a SAD estima que o imapacto na pandemia nas receitas operacionais seja de 8,9 milhões de euros, além do efeito negatina nas transferências de jogadores. Com os prejuízos, o capital prórpio negativo agravou-se mais de 70%.
Jornal de Negócios 28 de Fevereiro de 2021 às 20:56
Varandas e Rúben Amorim
Varandas e Rúben Amorim FOTO: Direitos Reservados

A Sporting SAD terminou o primeiro semestre fiscal (seis meses terminados em dezembro de 2020) com um resultado líquido negativo de 6,9 milhões de euros, o que compara com os lucros 2,8 milhões de euros obtidos no período homólogo.

No Relatório & Contas do primeiro semestre, o Sporting justifica a evolução negativa das contas devido às "consequências causadas pela pandemia covid-19", que levou o volume de negócios da SAD a registar uma queda de 32% para 61,8 milhões de euros.

Para a queda desta rubrica contribuíram os jogos da equipa profissional à porta fechada, que não permitiram a venda das habituais Gamebox, da bilheteira jogo a jogo, do corporate e "afectando drasticamente outras linhas de receita como é o caso do merchandising, visitas e eventos, entre outras".

"Num ano ‘normal’, sem o efeito da pandemia, os resultados agora apresentados seriam positivos, não se verificando a forte contração no mercado de transferências e a quebra significativa dos resultados operacionais sem transações de jogadores", refere a SAD leonina.

A SAD do Sporting também culpa a pandemia pela descida de 17% nos resultados em transações de jogadores, "aos quais se somou um impacto negativo estimado em cerca de 8,9 milhões de euros no semestre e no total da época estimado em 18 milhões de euros" nas receitas operacionais.

O clube sofreu uma quebra de 18,3 milhões de euros nas receitas com vendas de jogadores. Os resultados operacionais com a venda de atletas baixaram de 26,9 milhões de euros no semestre terminado em dezembro de 2019 para 12 milhões de euros no último semestre.

Já os resultados operacionais foram negativos em 1,3 milhões de euros, contra um valor positivo de 10,7 milhões de euros no período homólogo.

Capital próprio negativo agrava-se
Os prejuízos no semestre agravaram as rubricas do balanço da SAD do Sporting, apesar de ter baixado o passivo. Em dezembro de 2020 o capital próprio registava um valor negativo de 17,4 milhões de euros, quando no final de 2019 situava-se abaixo dos 10 milhões de euros negativos.   

No Relatório & Contas o Sporting assinala a redução do passivo em 6,8 milhões de euros, "reforçando a tendência decrescente dos últimos três semestres, ou seja, desde 30 de Junho de 2019 consecutivamente".

Em dezembro de 2020 a SAD registava um passivo de 291 milhões de euros, sendo que a descida está "relacionado com a o reconhecimento em resultados do valor de direitos TV que tinham sido diferidos nas contas anuais findas em 30 de Junho de 2020 relativos aos jogos da época 2019/20 que se realizaram em Julho de 2020", explica a SAD.

No que diz respeito ao ativo, a descida foi superior (cerca de 14 milhões de euros para 274 milhões de euros), devido à "redução do valor do plantel e do cash disponível".

Sporting prejuizos
Ver comentários