Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
4

Só um dedo – o de Nuno Gomes

O Benfica iniciou ontem a defesa da Taça da Liga com uma vitória tangencial sobre o Nacional, em tudo diferente dos tempos em que jogava de forma exuberante, goleava e o treinador Jorge Jesus mostrava quatro dedos aos adversários.
4 de Janeiro de 2010 às 00:30
O argentino Saviola remata para o golo da vitória do Benfica
O argentino Saviola remata para o golo da vitória do Benfica FOTO: Pedro Catarino

Desta vez foi por um dedo apenas e não do treinador, mas de Nuno Gomes. O marcador só funcionou, por Saviola, a passe do capitão, na sequência de um lançamento lateral de David Luiz, depois de esgotadas as substituições e quando o espectro do empate há muito pairava sobre a Luz.

O resultado, terceiro triunfo tangencial consecutivo dos encarnados, foi muito melhor do que a exibição, nada facilitada por um Nacional extremamente defensivo e muito matreiro no contra-ataque.

Depois de ter desperdiçado 45 minutos, Jesus alterou o figurino da equipa com a entrada de Weldon e o recuo de Coentrão, passando a actuar em 4x3x3, o que lhe permitiu exercer uma pressão mais objectiva do que a mera ocupação do terreno. Os problemas de ritmo trouxeram muito cedo à memória as ausências forçadas de Aimar, Ramires e Di María, que são fundamentais na estratégia desequilibrante da equipa. Aliás, o Benfica não só teve dificuldades em criar situações de finalização como ainda sofreu alguns contra-golpes muito perigosos, a maioria provocados por passes errados e outras desatenções. O Nacional teve apenas uma finalização no 1º tempo, em que Rodrigo apareceu deslocado por centímetros, mas depois do intervalo desperdiçou algumas situações, uma delas, escandalosa por Anselmo (87’), além de um penálti não assinalado: David Luiz derrubou Rodrigo (71’).

"O IMPORTANTE ERA SOMAR A VITÓRIA"

"Sabíamos que ia ser difícil e diferente do que fizemos para a Liga [Benfica venceu 6-1]. As equipas vinham de um período de dez dias sem competir e isso torna as coisas mais difíceis para quem quer assumir o jogo. O importante era somar a vitória", disse Jorge Jesus, que deixou uma palavra para Manuel Machado (internado no Funchal, devido a uma infecção): "Gostava que estivesse aqui. Espero que termine a época no banco do Nacional".

ANÁLISE

POSITIVO

Nuno resolve

Nuno Gomes entrou a 12 minutos do fim e não perdeu tempo: 20 segundos em campo, um toque na bola, um passe de golo. 

NEGATIVO

Máquina emperrada

Talvez a pior arrancada da máquina 1 de Jorge Jesus, sem carburação nem velocidade para ultrapassar o autocarro madeirense. 

ARBITRAGEM

Sem critério

Sem critério técnico nem disciplinar. Luisão e Amuneke deviam ter sido expulsos aos 28’. David Luiz cometeu penálti sobre Rodrigo (71’). 

FICHA DO JOGO

Taça da Liga - 3.ª Fase - 03/01/2010

Estádio da Luz - Assistência: 15 00

BENFICA

Quim, Maxi Pereira, Luisão, David Luiz, César Peixoto (Weldon 46’), Javi Garcia, Urreta (F. Menezes 69’), Carlos Martins (Nuno Gomes 79’), Fábio Coentrão, Cardozo, Saviola.

Treinador: Jorge Jesus

NACIONAL

Rafael Bracalli, Patacas, Felipe Lopes, Tomasevic, Nuno Pinto (Rodrigo Silva 16’), Cléber, Leandro Salino, Ruben Micael, Pecnik, João Aurélio, Amuneke (Anselmo 83’).

Treinador: Jokanovic

Árbitro: Olegário Benquerença (Leiria) 2

Disciplina: amarelos: Amuneke (28’), Luisão (28’), Urreta (33’), João Aurélio (45’), Felipe Lopes (61’), Patacas (68’), Pecnik (72’), David Luiz (69’), Rodrigo (90’)

Classificação do jogo: 6

FULHAM: MAXI PEREIRA

Maxi Pereira é um dos alvos do Fulham (Inglaterra) para reforçar do sector defensivo da equipa na próxima época. O internacional uruguaio está avaliado em dois milhões de euros

SILÊNCIO: VALTER MARQUES

Antes do apito inicial, procedeu-se, na Luz, a um minuto de silêncio em homenagem a Valter Marques, ex-presidente do Conselho Fiscal do Benfica, falecido a 24 de Dezembro, aos 74 anos

Ver comentários