Sporting sofre para ganhar

O Sporting (2-1) entrou no campeonato 2005/06 com o pé direito, no caso, o de Rogério, que aos 39’ fez o primeiro golo da época, com um remate espectacular – a fazer lembrar o golão que marcou na final da Taça UEFA. Só nesta altura a equipa de José Peseiro começou a libertar-se do nervosismo que lhe mastigava o jogo a meio-campo.
20.08.05
  • partilhe
  • 0
  • +
Sporting sofre para ganhar
Belenense Pelé protagonizou com o brasileiro Deivid um interessante duelo no dérbi lisboeta Foto António Cotrim/Lusa
Tensão agravada aos 24’, quando o estreante Tonel – a solução de Peseiro para o caso de indisciplina de Polga – entregou um golo certo a Meyong, que a ter entrado teria, pelo que se viu depois, complicado muito a vida ao Sporting. Mas ‘leões’ marcaram primeiro e nos primeiros minutos da segunda parte o 4x3x3 de Peseiro – com Sá Pinto no lugar do esperado Luís Loureiro – ameaçou esmagar um cada vez mais encolhido Belenenses.
O segundo golo do Sporting esteve iminente em várias ocasiões e isso deu maior confiança à equipa ‘leonina’. Só que um falhanço incrível do guarda-redes Ricardo permitiu a Pinheiro empatar, surpreendentemente, a partida, aos 58’. Com o golo, regressou a tremedeira ‘leonina’ e dois minutos depois, os do Restelo só não passaram para a frente do marcador porque Fábio Januário imitou Meyong e fez o que parecia impossível: falhar o golo.
A equipa de Peseiro esteve à beira de afundar-se, mas um cruzamento de Douala – que continua a parecer afectado pelas dúvidas que o envolveram na pré-época – e um toque infeliz do jovem central Rolando, depois de um mau alívio do guarda-redes Marco Aurélio, devolveram a vantagem aos ‘leões’. Deivid foi decisivo para o autogolo, e correu a dedicá-lo a Ricardo, num lance que não apaga as evidentes limitações que a dupla Liedson-Deivid ainda apresenta. E que Peseiro tem de resolver, sob pena de, como ontem, secar por completo o melhor marcador da SuperLiga do ano passado, que só fez o seu primeiro remate aos 53’.
Na última meia-hora, o Sporting controlou sempre o jogo – apitado exemplarmente por Pedro Proença –, embora denotando sempre um grande défice de confiança, preocupante para uma equipa que na terça-feira está obrigada a ganhar à Udinese, em Itália, para seguir em frente na Liga dos Campeões.
MAIS: A MAGIA DE MOUTINHO
João Moutinho foi ontem o grande motor da equipa do Sporting. Apesar da sua juventude, o mais recente internacional português mostrou sempre maior calma e criatividade do que os seus restantes companheiros de equipa. E provou que encostá-lo a uma das linhas, como José Peseiro tantas vezes faz, é amarrar-lhe o talento e retirar ao Sporting uma dinâmica e uma força preciosas, que duram os noventa minutos.
MENOS: O FRANGO DE RICARDO
Ricardo voltou a lançar lenha para a fogueira de críticas que se acendeu em seu redor após o falhanço fatal que teve frente ao Benfica, no jogo que decidiu o último título. Sobretudo porque, tal como na partida da Luz, o guarda-redes comprometeu mais por ter facilitado no momento de atacar a bola do que por infelicidade. Um lance que, por certo, reforçará a recente convicção de Scolari em entregar a baliza da Selecção Nacional ao benfiquista Quim.
APONTAMENTOS
JUSTO, DIZ PESEIRO
José Peseiro considerou justo o triunfo: “Foi uma vitória justa, contra uma equipa difícil, sem uma grande exibição. O Belenenses fez mais para vencer do que a Udinese”. Sobre Polga, que teve um desentendimento com o técnico e ficou de fora, disse: “Cabe a treinador, jogadores e administração resolver essa situação”. Moutinho pediu aos adeptos para apoiarem Ricardo: “Já deu muito ao clube e vai continuar a dar”.
‘BETANDWIN’ DE FORA
O Estádio José Alvalade não apresentou qualquer tipo de publicidade à Betandwin.com, o novo patrocinador da Liga. De acordo com a TSF, o Sporting impediu a colocação de painéis da Betandwin.com alegando que tem contrato de exclusividade com a Olivedesportos, empresa que informara que não tinha chegado a acordo com a Liga para a colocação de publicidade da empresa de apostas desportivas na Internet.
FICHA TÉCNICA
Local: estádio José Alvalade (31.784 espectadores)
Árbitro: Pedro Proença (Lisboa)
SPORTING: Ricardo, Rogério (Miguel Garcia, 79m), Tonel, Beto, Tello, Rochemback (Luís Loureiro, 74m), Sá Pinto, João Moutinho, Douala, Liedson e Deivid (Varela, 80m). Treinador: José Peseiro.
BELENENSES: Marco Aurélio, Amaral, Pelé, Rolando, Vasco Faísca (Fábio Januário, 46m), Sandro, Pinheiro, Djuerdjevic, José Pedro, Ahamada (Paulo Sérgio, 68m) e Meyong (Romeu, 68m). Treinador: Carlos Carvalhal.
Marcador: 1-0, Rogério (39m); 1-1, Pinheiro (58m) e 2-1, Rolando (64m, p.b.)
Acção disciplinar: Amarelos - Rochemback (12m), Ahamada (44m), Pelé (73m), Luís Loureiro (77m) e Fábio Januário (81m).
Melhor jogador: João Moutinho

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!