Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
1

Bruno Fernandes leva Sporting ao pódio

Luiz Phellype marcou os seus dois primeiros golos pelo Sporting e até chorou nos festejos.
Mário Figueiredo 31 de Março de 2019 às 01:30
Sporting e Desportivo de Chaves
Desportivo de Chaves e Sporting
Sporting e Desportivo de Chaves
Desportivo de Chaves e Sporting
Desportivo de Chaves e Sporting
Desportivo de Chaves e Sporting
Desportivo de Chaves e Sporting
Sporting e Desportivo de Chaves
Desportivo de Chaves e Sporting
Sporting e Desportivo de Chaves
Desportivo de Chaves e Sporting
Desportivo de Chaves e Sporting
Desportivo de Chaves e Sporting
Desportivo de Chaves e Sporting
Sporting e Desportivo de Chaves
Desportivo de Chaves e Sporting
Sporting e Desportivo de Chaves
Desportivo de Chaves e Sporting
Desportivo de Chaves e Sporting
Desportivo de Chaves e Sporting
Desportivo de Chaves e Sporting
O Sporting, empurrado por Bruno Fernandes e com dois golos de Luiz Phellype, venceu este sábado o D. Chaves (3-1) e subiu ao terceiro lugar da Liga, em vantagem em golos e no confronto direto com o Sp. Braga (mesmos pontos).

Mas nem tudo foram rosas para os leões em Chaves. A equipa entrou em campo lenta e sem ideias. O golo de Luiz Phellype (24’), após uma assistência de Ristovski, acabou por dar um safanão no jogo, que passou então a ser muito mais interessante. O avançado brasileiro não conteve as lágrimas com o seu primeiro com a camisola do Sporting.

A equipa de José Mota cresceu e a animação foi bem maior, embora Renan só tenha sido colocado à prova na 2ª metade.
O Sporting foi sempre a equipa mais perigosa, mas foi-se contentando com a vantagem mínima. A expulsão do flaviense Jefferson parecia ter condenado o jogo ao 1-0. Contudo, numa jogada de contra-ataque, André Luís empatou a partida, com Gallo a fazer um grande passe.

O leão foi então atrás do prejuízo e, sob a batuta do mestre Bruno Fernandes, a orquestra leonina começou a tocar. E o capitão deu o exemplo, com um golão. Acuña fez um cruzamento atrasado e o capitão rematou de primeira sem hipótese para o guarda-redes Ricardo Nunes, que tinha substituído o lesionado António Filipe.

A entrada de Jovane agitou o jogo leonino e já ao cair do pano Luiz Phellype bisou, aos 90+11’ (tempo de compensação pela assistência ao guarda-redes flaviense). Os leões chegam ao pódio num jogo em que sentiram dificuldades. Mas vão moralizados para a receção ao Benfica na quarta-feira para a 2ª mão da meia-final da Taça de Portugal.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)