Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
3

Trio julgado por corrupção no caso Cashball

Dois empresários e um ex-funcionário do Sporting acusados de 14 crimes.
Mário Pereira e Paulo Catarro 21 de Maio de 2022 às 10:51
Paulo Silva à entrada do Tribunal de Instrução Criminal, em maio de 2018
Paulo Silva à entrada do Tribunal de Instrução Criminal, em maio de 2018 FOTO: Ricardo Jr
O Tribunal de Instrução Criminal do Porto determinou que os três arguidos acusados no caso Cashball vão a julgamento, por corrupção desportiva. O ex-funcionário do Sporting Gonçalo Rodrigues e os empresários João Gonçalves e Paulo Silva são acusados de 14 crimes, num caso que remonta a situações ocorridas nas épocas desportivas de 2016/17 e 2017/18, envolvendo jogos de andebol e de futebol com, o objetivo de alegadamente beneficiarem o Sporting.

O CM teve acesso ao despacho do juiz de instrução, no qual são referidos factos referentes a aliciamento de árbitros e jogadores. Para além de, segundo o documento, terem tentado subornar dois árbitros de andebol, os empresários terão oferecido dinheiro a um futebolista do Desportivo de Chaves, Leandro Araújo , para facilitar a ação do avançado leonino Bas Dost em dois jogos com o Sporting, um para o campeonato (2-2, em 14/01/2017) e outro para a Taça de Portugal (vitória do Sporting por 1-0, 17/01/2017), a troco de 25 mil euros. De acordo com a decisão instrutória, o jogador recusou.

Num outro crime que lhe é imputado, Paulo Silva terá aliciado o árbitro Ivan Caçador para beneficiar o Sporting num jogo com o FC Porto da 3ª jornada da fase final do campeonato nacional de andebol, em 8/04/2017, mediante o pagamento de dois mil euros.

Na acusação, que ficou concluída em novembro de 2020, o Sporting não foi pronunciado.
Sporting Sporting Tribunal de Instrução Criminal Paulo Silva Porto João Gonçalves desporto futebol
Ver comentários
}