Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
4

GES causa buraco no Montepio

Decretada falência da Espírito Santo Hotéis.
Miguel Alexandre Ganhão(miguelganhao@cmjornal.pt) 24 de Junho de 2015 às 08:46
Vários lesados do BES protestaram à porta do Novo Banco, na Avenida dos Aliados, no Porto
Vários lesados do BES protestaram à porta do Novo Banco, na Avenida dos Aliados, no Porto FOTO: Fernando Veludo/Lusa
A falência da Espírito Santo Hotéis, decretada na segunda-feira pelo Tribunal de Lisboa, coloca em risco um crédito de 60 milhões detido pelo Montepio Geral, o único credor daquela empresa do Grupo Espírito Santo. Segundo apurou o CM, a administração liderada por Tomás Correia terá hoje uma reunião com o departamento jurídico do banco para traçar uma estratégia que permita recuperar aquele empréstimo.

A falência segue-se ao arresto preventivo de bens decretado pelas autoridades judiciais e que veio paralisar o negócio de venda dos hotéis Tivoli ao grupo tailandês Minor.

"O prazo para a reclamação de créditos foi fixado em 30 dias", indica o edital publicado no portal da justiça Citius, que acrescenta que os prazos não se vão suspender durante as férias judiciais. O mesmo documento marca uma assembleia de credores para o próximo dia 8 de setembro.

A administração da Tivoli Hotels & Resorts veio clarificar, em comunicado, que "a atividade deste grupo hoteleiro e os Planos Especiais de Revitalização [PER] em curso decorrem autonomamente face à holding Espírito Santo Hotéis". De acordo com a administração dos hotéis Tivoli, mais de 99% dos credores votantes aprovaram os planos de recuperação, pelo que neste momento aguarda-se "o normal decurso dos trâmites processuais".

montepio geral bes novo banco administração crédito grupo espírito santo
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)