Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

Protegida de Merkel ganha a liderança da CDU

Annegret Kramp-Karrenbauer venceu à segunda votação dos mil e um delegados democratas-cristãos
7 de Dezembro de 2018 às 16:27
Annegret Kramp-Karrenbauer com Merkel
AKK
Annegret Kramp-Karrenbauer com Merkel
Annegret Kramp-Karrenbauer com Merkel
Annegret Kramp-Karrenbauer
Annegret Kramp-Karrenbauer
Annegret Kramp-Karrenbauer com Merkel
AKK
Annegret Kramp-Karrenbauer com Merkel
Annegret Kramp-Karrenbauer com Merkel
Annegret Kramp-Karrenbauer
Annegret Kramp-Karrenbauer
Annegret Kramp-Karrenbauer com Merkel
AKK
Annegret Kramp-Karrenbauer com Merkel
Annegret Kramp-Karrenbauer com Merkel
Annegret Kramp-Karrenbauer
Annegret Kramp-Karrenbauer
Annegret Kramp-Karrenbauer (AKK) é a nova presidente da CDU (União Democrata-Cristã), sucedendo a Angela Merkel na liderança dos democratas-cristãos. Depois de 18 anos como líder dos conservadores alemães, os delegados da CDU presentes no congresso que decorre esta sexta-feira e sábado em Hamburgo escolheram a atual secretária-geral do partido, e protegida da chanceler, para continuar a liderar os destinos do maior partido germânico.

Também conhecida como "mini-Merkel" dada a proximidade à chanceler, AKK recebeu 517 votos contra os 482 conquistados pelo candidato derrotado Friedrich Merz, antigo líder parlamentar do partido e gestor na BlackRock. Na primeira votação nenhum dos três candidatos obteve a maioria absoluta dos votos, pelo que passaram à segunda ronda apenas os dois mais votados. Na primeira ronda, AKK teve 450 votos, Merz recebeu 392 e Jens Spahn, atual ministro da Saúde, recolheu apenas 157. 

Apesar da maior proximidade ideológica entre Merz e Spahn, com ambos a um posicionamento mais à direita da CDU e o regresso do partido à sua matriz conservadora, AKK conseguiu obter o apoio necessário à vitória junto dos delegados que na primeira ronda votaram no ministro da Saúde.


Antes ainda das votações, a chanceler Angela Merkel dirigiu-se aos conservadores pela última vez enquanto líder da CDU. Numa intervenção emotiva, Merkel agradeceu por todo o apoio recebido ao longo dos 18 anos passados como presidente dos democratas-cristãos, 13 dos quais acumulando com a chancelaria germânica. 

"Foi um grande prazer, foi uma grande honra", declarou Merkel citada pela agência Reuters.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)