Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
8

Biden acusa Donald Trump de abuso de poder

Candidato democrata à Casa Branca defende que devem ser os eleitores a escolher quem deve nomear o sucessor da juíza Ruth Bader Ginsburg no Supremo Tribunal dos EUA.
Ricardo Ramos 22 de Setembro de 2020 às 08:15
Manifestantes pediram ao Senado para honrar a memória de Ginsburg e adiar aprovação do sucessor
Manifestantes pediram ao Senado para honrar a memória de Ginsburg e adiar aprovação do sucessor FOTO: shawn thew/Epa
O candidato democrata à Casa Branca, Joe Biden, denunciou a intenção do presidente Donald Trump de nomear o próximo juiz do Supremo Tribunal antes das eleições de novembro como “um abuso de poder” e apelou à maioria republicana do Senado para não aprovar qualquer candidato antes das presidenciais.

“Devemos ouvir os eleitores. São eles, de acordo com a Constituição, que devem decidir quem tem o poder para fazer esta nomeação”, apelou Biden.

Trump garantiu esta segunda-feira que deverá anunciar “sexta-feira ou sábado” o nome do escolhido para suceder a Ruth Bader Ginsburg, a icónica juíza progressista que faleceu sexta-feira aos 87 anos. A maioria republicana do Senado prometeu acelerar o processo de confirmação e aprovar a nomeação antes das eleições de 3 de novembro, provocando a fúria dos democratas, que defendem que deve ser o próximo presidente a nomear o sucessor da juíza. Se Trump levar a sua avante, o Supremo Tribunal passará a ter seis juízes conservadores e três liberais, o que terá implicações sérias em questões relacionadas com o direito ao aborto, cuidados de saúde e imigração, entre outras.

Antes de morrer, Ginsburg pediu para que o seu sucessor só fosse escolhido após as presidenciais, mas Trump disse esta segunda-feira não acreditar nisso. “Não sei se ela o disse. Parece-me coisa da Pelosi ou do Schiff”, afirmou, referindo-se aos líderes democratas da Câmara dos Representantes.
Ver comentários