Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
6

Cães morrem dentro de tenda com temperaturas de 34.º durante oito horas

Donos embrulharam os animais num saco-cama e tinham intenções de enterrá-los mais tarde.
Correio da Manhã 13 de Fevereiro de 2020 às 10:37
Cadela da raça pug
Cadela da raça pug FOTO: Direitos Reservados

Sarah Henniker e TJ Gregory deixaram os animais de estimação, Millie e Tito, dentro de uma tenda durante oito horas em julho, num dia em que estavam 34ºC. Os animais acabaram por morrer, uma vez que a temperatura dentro da tenda era ainda mais alta.

A mulher deixou a tenda no Parque de Férias Martello Bay, em Jaywick, Essex, Inglaterrra, às 09h00 da manhã e só voltou depois das 17h00.

O casal, ao perceber que os cães tinham morrido, embrulhou-os num saco-cama com a intenção de os enterrar mais tarde. No entanto, a equipa de segurança do parque alertou as autoridades e levou os corpos dos cães para uma zona segura.

Tanto Sarah como TJ Gregory admitiram ter causado sofrimento desnecessário aos animais. 

"É uma maneira horrível de perder a vida", disse o juiz distrital Timothy King, que atribuiu ao casal trabalho comunitário durante 18 meses, com 160 horas de trabalho não remunerado a cada. Para além disso, TJ Gregory tem de fazer reabilitação durante 20 dias e foram proibidos de ter animais durante cinco anos.

"Os cães são vulneráveis à insolação. Os corpos não podem arrefecer como os dos seres humanos e o calor pode tornar-se perigoso rapidamente", disse um porta-voz da RSPCA.

Sarah Henniker Tito TJ Gregory Millie interesse humano questões sociais animais
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)