Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
4

CIA enganada por agente duplo

O bombista suicida que na semana passada matou sete agentes da CIA no Afeganistão era um agente duplo recrutado pela Jordânia e pelos EUA para infiltrar a cúpula da al-Qaeda no Afeganistão, admitiram ontem fontes da espionagem dos EUA.
6 de Janeiro de 2010 às 00:30
Terrorista foi recrutado para ajudar as tropas dos EUA (na foto)
Terrorista foi recrutado para ajudar as tropas dos EUA (na foto) FOTO: Joe Raedle/Reuters

Humam Khalil al-Balawi, médico jordano de 36 anos, foi detido há mais de um ano na Jordânia por ligação a grupos radicais islâmicos. Na prisão, terá sido convencido pelos serviços secretos jordanos a trocar de lado, passando a trabalhar para o governo de Amã e seus aliados americanos. Foi nessa qualidade que foi enviado para o Afeganistão, com a missão de infiltrar a cúpula da al-Qaeda e informar os seus novos chefes sobre o paradeiro de Osama bin Laden e seus parceiros.

Na semana passada, al-Balawi contactou o seu controlador, o jordano Ali bin Zaid – parente afastado do rei Abdullah II da Jordânia –, pedindo um encontro urgente, afirmando ter informações sobre a localização de Ayman al-Zawahiri, o número dois da al-Qaeda. O encontro foi marcado para Camp Chapman, base avançada dos EUA na província de Khost. Como al--Balawi era um agente de confiança, não foi revistado à chegada – foi imediatamente levado para um ginásio onde o esperavam o seu controlador e vários agentes da CIA. Minutos depois, accionou os explosivos que trazia presos ao corpo, matando sete agentes e o seu controlador. A CIA suspeita que terá sido ‘virado’ pelo próprio al-Zawahiri.

EMBAIXADAS REABERTAS

As embaixadas de EUA, Reino Unido e França no Iémen, encerradas desde domingo devido a um alerta terrorista, reabriram ontem as portas, depois de uma operação das forças de segurança iemenitas ter "removido a ameaça". A decisão foi aparentemente tomada após o raide de segunda-feira contra um esconderijo de militantes na capital, Sanaa, que causou a morte a dois alegados terroristas que estariam por detrás das ameaças. O governo iemenita anunciou ainda ter lançado uma operação militar em larga escala contra a al-Qaeda em três províncias. Enquanto isso, em Washington, o presidente Barack Obama esteve ontem reunido com os responsáveis das agências de segurança para estudar novas medidas antiterroristas.

PORMENORES

ESPIONAGEM CRITICADA

O coordenador das agências de espionagem dos EUA no Afeganistão, general Michael Flynn, criticou a actuação dos espiões norte-americanos no país, chamando-lhes "ignorantes" por não tentarem criar laços com a população.

PORTUGAL AVISA

O governo português advertiu os cidadãos nacionais que tencionam viajar para o Iémen a adoptar precauções devido ao "risco elevado do atentados". Portugal não tem embaixada no Iémen, sendo os interesses do nosso país representados pela embaixada na vizinha Arábia Saudita, que apenas tem registo de dois portugueses residentes no país.

NIGERIANO AGIU SOZINHO

As autoridades holandesas garantem que o terrorista nigeriano que tentou derrubar um voo entre Amesterdão e Detroit "não teve qualquer cúmplice", apesar de várias testemunhas o terem visto a falar com um homem no aeroporto.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)