Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

Cumpre sonho de ser mãe com esperma congelado, três anos depois da morte do marido

Mulher de 37 anos ficou destroçada quando um cancro lhe levou o companheiro. Agora teve gémeos.
Pedro Zagacho Gonçalves 12 de Agosto de 2020 às 18:07
Lucy teve gémeos, David e Samuel
Lucy teve gémeos, David e Samuel
Lucy teve gémeos, David e Samuel
Lucy teve gémeos, David e Samuel
Lucy teve gémeos, David e Samuel
Lucy teve gémeos, David e Samuel
Lucy teve gémeos, David e Samuel
Lucy teve gémeos, David e Samuel
Lucy teve gémeos, David e Samuel

Em plena pandemia da Covid-19, há histórias de superação, de finais felizes e de esperança. É o caso de Lucy Kelsall, uma inglesa de 37 anos, que foi mãe de gémeos há dois meses. Acontece que o marido de Lucy, David, morreu vítima de um cancro na garganta em 2017, antes do casal poder cumprir o sonho de terem filhos. Antes do marido morrer, Lucy prometeu-lhe que ele seria pai dos seus filhos e cumpriu a promessa.

Os dois estavam casados desde 2012 e, apesar das várias tentativas, nunca conseguiram ter filhos. Depois do primeiro tumor detetado e retirado da garganta de David, os médicos descobriram um novo tumor e o cancro ganhou força. David lutou contra a doença durante 3 anos, fez 99 rondas de radioterapia, retirou as cordas vocais e parte do pescoço.

Antes dos tratamentos tornarem David infértil e temendo que o seu estado de saúde piorasse, o casal decidiu congelar o esperma de David na esperança que Lucy pudesse vir a ser mãe dos filhos de David através de fertilização in vitro. David acabou por não resistir ao cancro e morreu. 

Lucy fez inúmeros tratamentos de fertilidade, mas os médicos sempre disseram que as hipóteses de engravidar seriam "escassas". A primeira tentativa foi um fracasso, mas a segunda ronda de fertilização in vitro, em 2019, revelou-se um sucesso.

Lucy levou a gravidez até ao termo e ficou para lá de feliz quando descobriu que esperava dois rapazes gémeos.

"Dias antes do David morrer eu disse-lhe que ia mesmo ser mãe dos filhos dele e ele ficou tão surpreendido e tão feliz. Ficou orgulhoso e eu sei que ele seria um pai fantástico. O nascimento foi muito emocional e ainda agora não consigo acreditar que tenho um, melhor dois, bocadinhos do David comigo", conta em lágrimas ao Mirror a recém-mamã.

Os bebés chamam-se David (como o pai) e Samuel e Lucy conta que os gémeos têm muitas parecenças com o pai: "Um tem as pernas longas e os pés grandes, tal e qual como o pai tinha. O outro tem os olhos verdes, exatamente da mesma cor dos olhos do David." 

Nas redes sociais, Lucy mostra-se radiante com os bebés e multiplicam-se as mensagens de parabéns e de felicidade pela viúva que agora tem novo alento. A inglesa garante que David vai fazer parte da vida dos bebés, e que vai contar aos filhos tudo sobre o pai.

"O David era uma pessoa fantástica, uma inspiração tremenda, um homem muito inteligente e muito carinhoso. Não conseguia lidar com a ideia dele morrer sem passar os seus genes e a esperança de ter filhos dele foi o que me fez continuar. Agora vejo um futuro. Vou contar aos rapazes todas as histórias do pai, todos os dias, para que faça parte do dia-a-dia deles. E tenho muitas fotografias e boas memórias para lhes mostrar, minhas e do David, da vida feliz que vivemos juntos", termina Lucy.

Lucy Kelsall David questões sociais família morte fertilização in vitro fertilidade bebés cancro
Ver comentários