Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
5

Escola Portuguesa em São Tomé abriu há um ano e já não há vagas

Marcelo Rebelo de Sousa vai inaugurar a abertura oficial da escola na próxima semana.
Lusa 18 de Fevereiro de 2018 às 11:41
Sala de aula
Sala de aula
Marcelo Rebelo de Sousa
Professor
Sala de aula
Sala de aula
Marcelo Rebelo de Sousa
Professor
Sala de aula
Sala de aula
Marcelo Rebelo de Sousa
Professor
A Escola Portuguesa de São Tomé, que o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, vai inaugurar oficialmente na próxima semana, abriu há pouco mais de um ano, mas já há falta de vagas, disse a diretora à Lusa.

"Já há falta de vagas, do ano passado para este ano aumentou cerca de 70 alunos, ainda conseguimos, e agora a expetativa é conseguir aumentar o número de salas para podermos ter mais alunos", disse Manuela Costeira à Lusa.

A diretora deu como exemplo o primeiro ciclo: "Neste momento só temos hipótese de ter uma turma de primeiro ano e já tínhamos alunos para fazer duas ou três", disse, referindo que está já prevista a expansão do edifício onde funciona este ciclo.

A escola tem atualmente cerca de 470 alunos, incluindo "um grupo de portugueses, mas também são-tomenses com dupla nacionalidade", e 50 professores, explicou.

A mensalidade ronda os 90 euros por mês em média, acrescentou a diretora.

Questionada sobre o posicionamento desta escola no contexto educativo de São Tomé e Príncipe, Manuela Costeira considerou que "tem uma grande importância porque é a única que existe além do ensino público que tem o ensino até ao 12.º ano".

"Como nós temos o currículo português, os alunos procuram-nos para saídas futuras para universidades no estrangeiro", disse, justificando outro dos motivos pelos quais a escola tem tanta procura.

A responsável explicou que "só há dois é que é obrigatório o 12.º ano e muitos professores ainda não estão preparados, foi um grande boom".

Nesse sentido, os são-tomenses "veem a escola portuguesa como um ensino de qualidade e que lhes garante um futuro de estudo fora de São Tomé".

A escola, que já está a funcionar desde setembro de 2016, vai ser oficialmente inaugurada durante a visita de Estado de Marcelo Rebelo de Sousa a São Tomé e Príncipe, entre 20 e 22 de fevereiro, durante a qual vai oferecer uma biblioteca a este estabelecimento de ensino.

Sobre a receção que está a preparar para o Presidente, Manuela Costeira referiu que está prevista uma visita à escola e um encontro com os professores e com toda a comunidade educativa.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)