Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
1

Advogado do tio de Julen afirma que trabalhos de resgate no poço mataram menino de dois anos

Criança caiu a poço no dia 13 de janeiro deste ano.
27 de Fevereiro de 2019 às 14:24
Julen foi encontrado sem vida no fundo do poço ao fim de 13 dias
Técnicos da Guardia Civil fazem quarta detonação para abrir galeria de resgate para Julen
Resgate de julen
Resgate de Julen em Málaga, Espanha
Resgate de Julen
Resgate de Julen
Resgate de Julen
Mineiros entram no poço para resgatar Julen
Mineiro desce ao poço para o regate de Julen em Málaga
Mineiros descem ao poço para o resgate de Julen em Málaga
Imagens do 'adeus' a Julen nas redes, 12 dias de esperança depois
Julen foi encontrado sem vida no fundo do poço ao fim de 13 dias
Técnicos da Guardia Civil fazem quarta detonação para abrir galeria de resgate para Julen
Resgate de julen
Resgate de Julen em Málaga, Espanha
Resgate de Julen
Resgate de Julen
Resgate de Julen
Mineiros entram no poço para resgatar Julen
Mineiro desce ao poço para o regate de Julen em Málaga
Mineiros descem ao poço para o resgate de Julen em Málaga
Imagens do 'adeus' a Julen nas redes, 12 dias de esperança depois
Julen foi encontrado sem vida no fundo do poço ao fim de 13 dias
Técnicos da Guardia Civil fazem quarta detonação para abrir galeria de resgate para Julen
Resgate de julen
Resgate de Julen em Málaga, Espanha
Resgate de Julen
Resgate de Julen
Resgate de Julen
Mineiros entram no poço para resgatar Julen
Mineiro desce ao poço para o regate de Julen em Málaga
Mineiros descem ao poço para o resgate de Julen em Málaga
Imagens do 'adeus' a Julen nas redes, 12 dias de esperança depois

O advogado de David Serrano, tio de Julen, afirmou que foram os trabalhos de resgate que fizeram com que o sobrinho, de dois anos, morresse, no passado dia 13 de janeiro, dentro de um poço, em Málaga, Espanha.

A notícia está a ser avançada pelo jornal El Mundo, que garante que o tio de Julen (dono de terreno onde a criança morreu), apresentou um documento no Tribunal de Instrução de Málaga, onde defende que a morte da criança poderá ter sido causada pelo equipamento e métodos utilizados durante as operações de resgate.

De acordo com o mesmo documento, não terá sido a queda do menino a causa da morte mas sim a possibilidade de Julen ter sido atingido por um dos materiais utilizados para fazer o resgate do bebé, ferramentas que ‘atravessaram’ 73 metros de profundidade.

A queixa tem por base o estudo feito pelo arquiteto Jesús María Flores Villa e "centra-se nas gravações de vídeo e informações sobre os procedimentos, com o objetivo de determinar a cronologia e natureza das ações de resgate de Julen nas primeiras horas após queda do menino ao poço", avança a mesma fonte.

A equipa responsável pela defesa de David Serrano quer também que sejam aprofundados os métodos utilizados e por isso pretende falar com membros da equipa de resgate, da Guardia Civil e da Unidade de Montanha, avançou o ABC de Sevilla.

Recorde-se que o corpo de Julen foi retirado do poço a 26 de janeiro.

Julen advogado de David Serrano El Mundo
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)