Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

Francisco recebe líder palestiniano

Abbas encontrou-se com o papa, que lhe chamou "anjo da paz".
Francisco J. Gonçalves 17 de Maio de 2015 às 21:50
Abbas ofereceu ao papa um rosário durante uma audiência privada no Vaticano
Abbas ofereceu ao papa um rosário durante uma audiência privada no Vaticano FOTO: Alberto Pizzoli/Reuters
O papa Francisco recebeu ontem o presidente da Autoridade Palestiniana, dias depois de anunciar a assinatura de um acordo de cooperação mediante o qual o Vaticano reconhece, de forma oficial, o Estado da Palestina. O gesto do pontífice católico causou uma resposta irada de Israel, que acusa o papa de "distanciar a liderança palestiniana do regresso às negociações de paz".

A revolta de Israel deve-se ainda ao facto de o papa ter chamado a Mahmoud Abbas "anjo da paz" e de ter agendado o encontro para dias que marcam os 67 anos da ‘al-Nakba’, que designa a expulsão de mais de 700 mil palestinianos durante a criação do Estado de Israel, em 1948.

"Lamentamos a decisão da Santa Sé", afirmou fonte do governo israelita: "Não ajuda o processo de paz [...]. Israel vai ponderar uma resposta."

O acordo que Francisco firmará visa regular "aspetos essenciais da atividade da Igreja católica na Palestina", explicou Antoine Camilleri, subsecretário do Vaticano para as relações externas, mas tem impacto político: "Seria benéfico que pudesse ajudar a ver reconhecida uma Palestina independente."

Na prática, o Vaticano reconheceu a Palestina aquando da votação de 2012 na ONU que lhe concedeu estatuto de observador. Mas o acordo dá novo alento às pretensões palestinianas e é uma censura implícita ao impasse do processo de paz.
papa Francisco Vaticano Palestina Israel Mahmoud Abbas Antoine Camilleri ONU política diplomacia