Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

Homem acorda de meia em meia hora para urinar durante a noite

Insónias, aliadas à excreção de 1,5 litros de urina por noite, fazem com que durma apenas quatro horas. 100 médicos falharam em diagnosticar a doença.
SÁBADO 23 de Setembro de 2019 às 08:58
Insónias
Insónias
Enfarte
Insónia
Insónias
Insónias
Enfarte
Insónia
Insónias
Insónias
Enfarte
Insónia

E se combatesse uma insónia interminável e, quando finalmente consegue adormecer, acorda minutos depois com vontade de urinar? Bob Schwartz já consultou quase 100 médicos nos últimos três anos e nenhum consegue diagnosticar a doença de que o norte-americano padece.

A privação de sono é apenas um de muitos sintomas da constelação de problemas de que sofre o advogado reformado de 59 anos. Alta pressão arterial, mudanças de fluidos corporais consoante se levanta ou deita, distúrbios digestivos crónicos, desequilíbrios hormonais graves, perda de massa muscular no lado esquerdo do corpo e exaustão juntam-se ao boletim clínico que ninguém consegue decifrar. As insónias, aliadas à excreção de urina por noite, fazem com que durma apenas quatro horas num dia normal.

Schwartz, natural de Detroit, recorreu ao Programa de Doenças Não-Diagnosticáveis – desenhado para responder aos casos mais perplexos nos EUA – mas os médicos consideram-no "uma zebra entre as zebras", um caso extraordinariamente raro.

Como conta o Washington Post, médicos do Instituto Nacional de Saúde norte-americano identificaram uma aparente causa para os sintomas – o aspeto estreito e grosso das veias – mas não sabem como o tratar, nem nunca viram outro caso como este.

"Ainda não temos uma resposta", afirmou ao jornal Donna Novacic, coordenadora dos especialistas que analisaram Schwartz no ano passado numa clínica em Bethesda, Maryland.  

O homem com a doença desconhecida afirma que a falta de diagnóstico causou momentos de desespero e por isso decidiu-se a aprender tudo o que pode sobre o seu problema. Diz que, até 2016, era a "epítome da morte". Vegetariano desde o ensino secundário, nunca fumou ou bebeu álcool. Era atleta, corria mais de 10 quilómetros por dia e jogava basquetebol.

Em 2007 retirou-se da prática de advocacia e, juntamente com a mulher, fundou uma organização não-governamental que oferece dinheiro a necessitados na zona de Michigan, da qual é chefe executivo.

Há três anos começou a sentir-se cansado e pensou: "Bem, estou a ficar velho". O problema na urina começou um ano depois, em 2017. Durante o dia, Schwartz produzia pouca urina, por mais líquidos que consumisse. Mas quando se deitava na cama à noite, a sua média de urina excretada era de 1,5L por noite.

Urologistas não conseguiam explicar o fenómeno e Bob dirigiu-se ao hospital mais perto de casa. A sua pressão arterial estava mais alta que o normal e os médicos indicaram que sofria de hiponatremia – uma alteração do equilíbrio da água no organismo – pela baixa concentração de sódio no sangue. Foi transferido de hospital em hospital mas todos os médicos que o tentavam diagnosticar ficavam "perplexos".

"Chegaram a pedir-me para aparecer daí a um ano para ver como tinha evoluído", afirmou ao Washington Post. Mas quando voltou, um ano depois, os especialistas não tinham nada de novo a sugerir.

O problema, acreditam os médicos, pode ter sido causado pelo hábito de Bob em correr. O caso que mais se assemelha ao de Schwartz é o de um corredor de maratonas com veias que apresentavam um tamanho superior ao normal e com coágulos sanguíneos – que também ainda não tem qualquer diagnóstico clínico.

No caso do norte-americano, médicos acreditam que o sistema venoso largo e excessivamente estreito pode indicar um problema subtil com colagénio no tecido conjuntivo. A proteína que é fundamental para atribuir forma a tendões ou cartilagens não é forte o suficiente para suportar as paredes das suas veias. Isto, aliado a sintomas de disautonomia, disfunção do sistema nervoso autónomo, pode explicar a odisseia interminável de Bob Schwartz.

Bob Schwartz Washington Post saúde questões sociais doenças
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)