Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
7

Jornalista francesa diz-se vítima de agressão sexual no Egipto

O caso está a fazer lembrar o da sul-africana Lara Logan, revelado em Fevereiro de 2011: uma jornalista francesa, Sonia Dridi denunciou, esta semana, uma alegada agressão sexual sofrida quando se encontrava a trabalhar na Praça Tahrir, Cairo (Egipto).
20 de Outubro de 2012 às 21:02
Dridi, que é correspondente da estação televisiva France 24, explicou que foi rodeada, de forma intimidante, por um grupo de homens – a maioria jovens – quando estava num directo
Dridi, que é correspondente da estação televisiva France 24, explicou que foi rodeada, de forma intimidante, por um grupo de homens – a maioria jovens – quando estava num directo FOTO: d.r.

Dridi, que é correspondente da estação televisiva France 24, explicou que foi rodeada, de forma intimidante, por um grupo de homens – a maioria jovens – quando estava num directo.

O ataque, segundo refere o ‘El Mundo’, terá durado alguns minutos, até que um amigo conseguiu afastar os agressores e retirar Dridi da praça.

“Agarraram-me por todo o lado. Dei-me conta mais tarde que alguém me tinha aberto a camisa!”, disse Sonia Dridi, acrescentando que a situação só não foi mais longe porque estava a usar um cinto grosso.

A jornalista informou, entretanto, que vai avançar com uma queixa.

No ano passado, Lara Logan, correspondente da norte-americana CBS durante o auge da Primavera Árabe, assumiu que tinha sido sequestrada por 200 a 300 homens na praça da capital egípcia.

"As minhas roupas ficaram feitas em pedaços mas aquilo que mais me chocou foi a ausência de misericórdia deles. A minha dor e o meu sofrimento agradavam-lhes e só incitavam mais violência", disse a jornalista sul-africana de 40 anos, em entrevista ao programa ’60 Minutes’.

sonia dridi televisão jornalista agressão abuso sexual egipto lara logan praça tharir cairo
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)