Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

Jovem em lágrimas leva caixão da mãe que a salvou de esfaqueamento

Enteado atacou a família no Natal e matou a madrasta.
5 de Janeiro de 2018 às 20:24
Charlotte foi o rosto da dor no funeral da mãe, Jayne, que morreu para a salvar
Charlotte foi o rosto da dor no funeral da mãe, Jayne, que morreu para a salvar
Charlotte foi o rosto da dor no funeral da mãe, Jayne, que morreu para a salvar
Charlotte era inseparável da mãe, Jayne
Charlotte era inseparável da mãe, Jayne
Charlotte foi o rosto da dor no funeral da mãe, Jayne, que morreu para a salvar
Charlotte foi o rosto da dor no funeral da mãe, Jayne, que morreu para a salvar
Charlotte era inseparável da mãe, Jayne
Charlotte foi o rosto da dor no funeral da mãe, Jayne, que morreu para a salvar
Charlotte foi o rosto da dor no funeral da mãe, Jayne, que morreu para a salvar
Charlotte foi o rosto da dor no funeral da mãe, Jayne, que morreu para a salvar
Charlotte foi o rosto da dor no funeral da mãe, Jayne, que morreu para a salvar
Charlotte era inseparável da mãe, Jayne
Charlotte era inseparável da mãe, Jayne
Charlotte foi o rosto da dor no funeral da mãe, Jayne, que morreu para a salvar
Charlotte foi o rosto da dor no funeral da mãe, Jayne, que morreu para a salvar
Charlotte era inseparável da mãe, Jayne
Charlotte foi o rosto da dor no funeral da mãe, Jayne, que morreu para a salvar
Charlotte foi o rosto da dor no funeral da mãe, Jayne, que morreu para a salvar
Charlotte foi o rosto da dor no funeral da mãe, Jayne, que morreu para a salvar
Charlotte foi o rosto da dor no funeral da mãe, Jayne, que morreu para a salvar
Charlotte era inseparável da mãe, Jayne
Charlotte era inseparável da mãe, Jayne
Charlotte foi o rosto da dor no funeral da mãe, Jayne, que morreu para a salvar
Charlotte foi o rosto da dor no funeral da mãe, Jayne, que morreu para a salvar
Charlotte era inseparável da mãe, Jayne
Charlotte foi o rosto da dor no funeral da mãe, Jayne, que morreu para a salvar

Charlotte Reat, uma jovem norte-irlandesa de 21 anos, foi o rosto da dor no último adeus à mãe, Jayne Toal Reat, que morreu para salvara  filha do seu enteado, que atacou a família à facada no dia de Natal. A jovem quis homenagear o ato de heroísmo da mãe e quis ser ela a levar o caixão de Jayne.

As imagens estão a comover o mundo e mostram Jayne, ainda com sequelas do ataque, em lágrimas com o caixão da própria mãe aos ombros.

O filho do companheiro de Jayne, que trabalha como enfermeira, atacou toda a família quando estavam em casa a celebrar o Natal, em Lisburn, na Irlanda do Norte.

Nathan Ward tentou atacar Charlotte com uma faca, mas a madrasta pôs-se à frente e protegeu a filha. Morreu pouco depois. Nathan continuou o ataque, tentando matar Charlotte e até o próprio pai. Foi formalmente acusado do homicídio da madrasta, assim como de duas tentativas de homicídio. O criminoso ainda não explicou às autoridades o que motivou o ataque à faca.

Charlotte mostrou-se devastada com a morte da mãe e gritou "Não é justo, não é justo", durante as cerimónias fúnebres de Jayne, que morreu nos braços da filha.

"Nunca hei de esquecer este dia. O dia em que a minha mãe morreu nos meus braços. Ela morreu para me salvar. Eu já tinha sido esfaqueada duas vezes na cabeça, uma na cara e outra no pescoço. Não estaria viva se não fosse ela", escreveu Charlotte no Facebook na altura do ataque.

O responsável pelos crimes encontra-se a aguardar julgamento em prisão preventiva.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)