Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
4

Juiz da Lava Jato vai ser ‘superministro’ no governo de Bolsonaro

Sérgio Moro aceitou o convite do presidente eleito para ser ministro da Justiça.
Domingos Grilo Serrinha e correspondente no Brasil 2 de Novembro de 2018 às 01:30
Moro liderou uma operação anticorrupção que prendeu dezenas de políticos, entre eles o ex-presidente Lula da Silva
Juiz Sérgio Moro
Juiz Sérgio Moro
Sérgio Moro
Jair Bolsonaro será o 42º chefe de Estado do Brasil após vitória clara na segunda volta das presidenciais
Moro liderou uma operação anticorrupção que prendeu dezenas de políticos, entre eles o ex-presidente Lula da Silva
Juiz Sérgio Moro
Juiz Sérgio Moro
Sérgio Moro
Jair Bolsonaro será o 42º chefe de Estado do Brasil após vitória clara na segunda volta das presidenciais
Moro liderou uma operação anticorrupção que prendeu dezenas de políticos, entre eles o ex-presidente Lula da Silva
Juiz Sérgio Moro
Juiz Sérgio Moro
Sérgio Moro
Jair Bolsonaro será o 42º chefe de Estado do Brasil após vitória clara na segunda volta das presidenciais
O juiz Sérgio Moro, que chefiava a operação anticorrupção Lava Jato, aceitou esta quinta-feira ser o já chamado ‘superministro’ da Justiça do governo do presidente eleito, Jair Bolsonaro. O anúncio foi feito pelo próprio Moro em comunicado após reunião em casa de Bolsonaro, no Rio de Janeiro.

No comunicado, Moro, juiz desde 1996, afirma deixar com pesar 22 anos de magistratura, mas que o faz por um bem maior: implementar uma forte agenda anticorrupção e anticrime organizado no Brasil.

No texto, o juiz que em abril passado mandou para a cadeia o ex-presidente Lula da Silva, o adversário que Bolsonaro mais temia na disputa presidencial que acabou por vencer, acrescentou que, no cargo, vai poder consolidar os avanços já alcançados na luta contra a corrupção e evitar retrocessos.

Na verdade, Moro vai chefiar não um mas vários ministérios fundidos no da Justiça. Sob a sua alçada ficarão a Segurança Pública, a Transparência, a Controladoria Geral da União (entidade de fiscalização dos órgãos públicos), a Polícia Federal e o Conselho de Acompanhamento da Atividade Financeira, que combate crimes financeiros.

Para evitar controvérsias, Moro não participará em mais audiências da Lava Jato. Segundo Bolsonaro, na semana que vem o juiz irá para Brasília para participar na transição de governo.

O rosto da operação que prendeu Lula
Famoso pela dureza com que chefia a Lava Jato e por ter mandado prender por corrupção o ex-presidente Lula da Silva, o juiz, professor e escritor Sérgio Moro nasceu a 1 de agosto de 1972 em Maringá, Paraná, onde se formou e doutorou em direito, especializando-se em crimes financeiros.

Antes da Lava Jato já tinha atuado em processos contra poderosos. Nesta operação já condenou mais de 100 políticos e empresários. Para obter provas contra os principais envolvidos oferece benefícios jurídicos aos cúmplices.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)