Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

Mais de metade das mulheres com cancro pode evitar a quimioterapia

Teste molecular em Espanha pode revolucionar a vida das doentes oncológicas.
31 de Julho de 2018 às 15:04
70% das doentes oncológicas podem evitar quimioterapia
Doentes oncológicos
Doentes oncológicos
Doentes oncológicos
70% das doentes oncológicas podem evitar quimioterapia
Doentes oncológicos
Doentes oncológicos
Doentes oncológicos
70% das doentes oncológicas podem evitar quimioterapia
Doentes oncológicos
Doentes oncológicos
Doentes oncológicos

Um novo teste molecular, apelidado "Oncotype DX", permite identificar quais são as mulheres diagnosticadas com cancro em fase inicial, sendo que nesse estágio da doença não é necessário recorrer a tratamentos de quimioterapia. De acordo com o especialista espanhol Joan Albanell, 70% das mulheres podem evitar estes tratamentos tão invasivos e dolorosos.

Quase três décadas depois de iniciar os seus estudos, o oncologista Joan Albanell conseguiu criar um teste que prova que muitos dos pacientes com cancro da mama podem evitar a quimioterapia e os efeitos secundários tão dolorosos desse tratamento.

A investigação que deu origem a esta descoberta começou a ser feita em 2003, contando com a participação de seis mil mulheres, divididas em dois grupos: um deles apenas com terapia hormonal e outro com a adição de quimioterapia. "Os resultados demonstraram, de forma conclusiva, que omitir a quimioterapia não gerava resultados inferiores", sublinhou o médico e diretor do Serviço de Oncologia Médica do Hospital del Mar, em Barcelona.

No entanto o teste custa 2.700 euros, sendo que Albanell acredita que é possível "encontrar fórmulas" para torna-lo mais acessível.

Em Portugal, são detetados seis mil novos casos por ano, dos quais 1500 doentes acabam por não conseguir superar a doença.

Espanha saúde doenças cancro questões sociais quimioterapia mulheres
Ver comentários