Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
8

MATOU-A, CORTOU-A AOS PEDAÇOS E DEPOIS COMEU-A

Um cidadão britânico, detido em Espanha na sequência da morte de uma compatriota, confessou, em carta enviada ao jornal 'Daily Mirror', que a assassinou e a comeu em seguida.
8 de Outubro de 2004 às 00:00
Paul Durant, de 44 anos, escreveu a carta na cela da prisão de Costa Blanca (Alicante), onde se encontra detido, desde o passado mês de Fevereiro, na sequência da morte de Karen Durrell, de 44 anos. Na missiva, Durant confessou que tudo se passou na cidade de Calpe (província de Alicante).
"Depois de tê-la matado, cortei-lhe o corpo aos pedaços e comi as partes que me pareciam comestíveis. Depois, desfiz-me dos restos, espalhando-os em pequenos sacos de lixo pela cidade", escreveu Durant. "Antes de matar Karen, disse-lhe que tinha vindo a Espanha para matar e comer pedófilos. Na altura, o meu estado mental estava muito deteriorado. Acreditava que Deus me tinha enviado", escreveu ainda na missiva.
A polícia encontrou num apartamento em Calpe facas manchadas de sangue e uma serra com tecidos humanos, mas não o corpo da vítima. Registe-se ainda que Karen tinha ido a Espanha com o seu companheiro quando conheceu Durant, num bar.
Refira-se que Durant, que esteve duas vezes preso por ataques à mão armada nos anos 80 e 90, havia fugido para Espanha no passado mês de Dezembro, com um passaporte falso, depois de ter escapado às autoridades policiais na sequência de uma tentativa de assalto em Londres.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)