Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
7

Ministro italiano quer centros de migrantes na Líbia

Salvini foi a Tripoli sugerir a construção de centros de acolhimento no sul do país.
Francisco J. Gonçalves 26 de Junho de 2018 às 01:30
Ministro italiano quer centros de migrantes na Líbia
Ministro italiano quer centros de migrantes na Líbia
Ministro italiano quer centros de migrantes na Líbia
Ministro italiano quer centros de migrantes na Líbia
Ministro italiano quer centros de migrantes na Líbia
Ministro italiano quer centros de migrantes na Líbia
Ministro italiano quer centros de migrantes na Líbia
Ministro italiano quer centros de migrantes na Líbia
Ministro italiano quer centros de migrantes na Líbia
O ministro do Interior italiano, Matteo Salvini, líder do partido xenófobo Liga, visitou esta segunda-feira a Líbia e defendeu a criação de centros de receção de migrantes no sul desse país. Salvini entende que essa é uma boa forma de combater a vaga de migrantes que atravessam o Mediterrâneo a partir da costa da Líbia para chegar à Europa.

"Centros de receção e identificação deveriam ser criados no sul, ou a sul da Líbia", afirmou Salvini, acrescentando que Itália fará tudo "para garantir que o patrulhamento das águas líbias é feito pelas autoridades da Líbia". Salvini reiterou ainda críticas às ONG e grupos humanitários, dizendo "que querem tomar o lugar dos governos e que, na verdade, ajudam criminosos e traficantes de seres humanos".

A sugestão do ministro italiano foi rejeitada pelo primeiro-ministro do governo líbio reconhecido internacionalmente. "Recusamos quaisquer campos de refugiados na Líbia", afirmou Ahmed Maiteeg, alegando que tal coisa "não é permitida pelas leis" do país.

A visita de Salvini aconteceu um dia depois de uma minicimeira europeia realizada em Bruxelas ter falhado um acordo para uma política comum de combate à migração ilegal.

Essa reunião foi convocada depois de Itália rejeitar receber dois navios humanitários com mais de 800 migrantes a bordo.

"Situação crítica" a bordo do navio ‘Lifeline’ 
O eurodeputado do PCP, João Pimenta Lopes, visitou o navio humanitário ‘Lifeline’ e alertou para o agravamento da situação, já crítica, dos 234 migrantes a bordo. A Itália rejeitou o navio, que há quatro dias aguarda no mar autorização para aportar.

"As condições climatéricas vão alterar-se e isso vai criar uma situação crítica", alertou, frisando que "vómitos e enjoos" agravam muito o risco de desidratação de pessoas já muito debilitadas.

PORMENORES
Liga ganha mais apoio
O partido xenófobo Liga, parte do governo de coligação italiano, ganhou vários municípios ao centro-direita nas eleições locais de domingo. Os resultados confirmam sondagens, segundo as quais duplicaram apoios desde as eleições de 4 de março.

Migrantes abandonados
A Argélia rejeitou ontem acusações segundo as quais terá expulsado nos últimos 14 meses mais de 13 mil migrantes, abandonando-os sem comida nem água no deserto do Saara. Os migrantes foram fotografados por organizações humanitárias.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)