Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

Morte de mulher em congelador de hotel gera polémica

Família da vítima pede o envolvimento do FBI na investigação.
17 de Setembro de 2017 às 22:07
Kenneka Jenkins
Kenneka Jenkins
Kenneka Jenkins
Kenneka Jenkins
Kenneka Jenkins
Kenneka Jenkins
Kenneka Jenkins
Kenneka Jenkins
Kenneka Jenkins
Kenneka Jenkins
Kenneka Jenkins
Kenneka Jenkins

O caso da morte de Kenneka Jenkins, dentro de um congelador de um hotel em Chicago no fim de semana passado, está a agitar a opinião pública norte-americana.

Na madrugada do passado dia 9 de Setembro, a jovem estava numa festa no hotel Crowe Plaza Chicago O’Hare quando foi dada como desaparecida pelos amigos.

Kenneka foi vista pela última vez por volta das 01h30, altura em que mandou uma mensagem à sua irmã.

As imagens de uma câmara de videovigilância divulgadas pelas autoridades mostram a jovem aparentemente alcoolizada a percorrer a cozinha do hotel.

A polícia alega que a jovem de 19 anos estaria alcoolizada e entrou por engano no congelador, onde acabou por morrer.

Tanto a família como várias pessoas que criaram grupos na Internet para discutir este caso não se conformam com esta explicação prestada pelas autoridades.

Os amigos que estavam com Kenneka na festa ligaram à mãe da vítima por volta das 04h30 a dizer que não sabiam do paradeiro da jovem. A mãe falou com o Departamento de Polícia de Rosemont que a aconselhou a esperar.

As autoridades tomaram oficialmente conhecimento do caso às 13h15 de sábado, onde começaram por fazer buscas nas áreas públicas do hotel e no nono andar, onde o grupo estava.

Na madrugada de domingo, o corpo da jovem foi encontrado dentro do congelador, de portas metálicas duplas, numa zona sem vigilância.

Com várias interrogações sobre o desaparecimento da jovem, a família pede agora ao envolvimento do FBI na investigação, para saber se alguém a terá atraído ou empurrado para o local onde morreu.

Ver comentários