Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
5

Número de mortos causados pelo coronavírus sobe para 25. Há 616 casos de pessoas infetadas

Cidade de Wuhan, epicentro do surto, foi fechada e ninguém pode entrar ou sair.
SÁBADO 23 de Janeiro de 2020 às 10:35
China
China

A China aumentou para 25 número de vítimas mortais do novo tipo de coronavírus, contabilizando 616 casos do surto que se iniciou na cidade de Wuhan. O epicentro da epidemia foi fechado, com voos e viagens de comboio para a região a terem sido suspensos para que ninguém saia ou entre em Wuhan. Residentes da cidade de Huanggang, a mais de 70 quilómetros, foram aconselhados a não sair de casa.

De acordo com a Sky News, que cita a televisão estatal chinesa, os transportes em Huanggang também foram suspensos e estabelecimentos como cinemas e cafés foram fechados. Wuhan e Huanggang têm uma população conjunta de mais de 20 milhões de pessoas.

Fora da China continental, foram confirmados casos da doença em Macau, Hong Kong, Taiwan, Coreia do Sul, Japão, Tailândia e Estados Unidos.

Os primeiros casos do vírus "2019 – nCoV" apareceram em meados de dezembro na cidade chinesa de Wuhan, capital da provincia central de Hubei, quando começaram a chegar aos hospitais pessoas com uma pneumonia viral.

Em todos os casos, os doentes trabalhavam ou visitavam com frequência o mercado de marisco e carnes de Wuhan. As autoridades desconhecem ainda a origem exata da infeção, mas vários indícios apontam para animais infetados, que são comercializados vivos, a transmitir a doença aos seres humanos.

Os sintomas destes coronavírus são mais intensos do que uma gripe e incluem febre, dor, mal-estar geral e dificuldades respiratórias, incluindo falta de ar.

Macau nega entrada e saída de pessoas com febre

Numa tentativa de ajudar a conter o surto, Macau está a recusar nas fronteiras a entrada e saída de pessoas com febre. Até ao momento, a medição da temperatura corporal estava a ser efetuada à entrada das fronteiras, mas as ordens são agora de se proceder à mesma verificação à saída, uma informação que foi sublinhada hoje em duas conferências de imprensa, uma primeira promovida pelo chefe do Governo, uma segunda, ao final da tarde, prestada pelas autoridades de saúde.

As autoridades de Macau identificaram hoje uma segunda pessoa infetada com o novo tipo de coronavírus, um homem de 66 anos, que, tal como o primeiro caso, uma mulher de 52 anos, é oriundo de Wuhan. Atualmente em regime de isolamento, a situação clínica de ambos é considerada estável.

Outras 15 pessoas estão neste momento em regime de isolamento, cinco das quais são considerados casos de alto risco. Outras oito pessoas estão numa urgência especial a aguardar os resultados de um teste que permita despistar a doença.

O surto surge numa altura em que milhões de chineses viajam, por ocasião do Ano Novo Lunar, a principal festa das famílias chinesas, equivalente ao natal nos países ocidentais. Segundo o Ministério dos Transportes chinês, o país deve registar um total de três mil milhões de viagens internas durante os próximos 40 dias.

O mais de meio milhar de casos registados tem alimentado receios sobre uma potencial epidemia, semelhante à da pneumonia atípica, ou Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS), que entre 2002 e 2003 matou 650 pessoas na China continental e em Hong Kong.

Wuhan China Macau Macau Hong Kong saúde questões sociais epidemias e pragas doenças política
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)