Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
3

"Descobrimos os restos mortais da Maëlys", diz procurador francês

Suspeito dos crimes diz que morte da menina foi "acidental".
14 de Fevereiro de 2018 às 13:02
Maëlys de Araújo
Maelys
Nordahl Lelandais
Suspeito do desaparecimento de Maëlys está preso desde o dia seguinte ao desaparecimento
Maëlys de Araújo
Maelys
Nordahl Lelandais
Suspeito do desaparecimento de Maëlys está preso desde o dia seguinte ao desaparecimento
Maëlys de Araújo
Maelys
Nordahl Lelandais
Suspeito do desaparecimento de Maëlys está preso desde o dia seguinte ao desaparecimento
Jean-Yves Coquillat, procurador francês, anunciou, na tarde desta quarta-feira, terem sido descobertos os restos mortais de Maëlys Araújo, a menina de 9 anos que estava desaparecida desde agosto de 2017. "Há alguns minutos, encontrámos os restos mortais da criança", disse o magistrado.

O procurador acrescenta que Nordahl Lelandais confessou ter cometido o crime, mas diz que a morte terá sido "acidental".

Durante a conferência de imprensa, o procurador adiantou que Nordahl "disse que tinha remorsos e pediu desculpa". O suspeito diz que matou "involuntariamente" Maëlys e levou o corpo da menina para um lugar perto de sua casa, antes de voltar para o casamento. O homem livrou-se depois do corpo numa floresta.

Nordahl não quis especificar para já as circunstâncias da morte da menina. "Ele queria que o corpo fosse descoberto primeiro", disse o procurador, explicando o porquê de o suspeito só agora ter confessado os crimes. Segundo informações da investigação, foram encontrados "um crânio e um osso de criança"

Lelandais é suspeito de pelo menos mais um crime mortal na região de onde a menina lusodescendente desapareceu, mas não se referiua esse caso. Há muito que o homem era o principal suspeito do crime, estando em prisão preventiva desde agosto, mas só agora confessou.

Suspeito confessou

O principal suspeito do desaparecimento da pequena Maëlys voltou, esta quarta-feira, a depor e, de acordo com a imprensa francesa, confessou o crime e forneceu elementos importantes para a recuperação do corpo da criança lusodescendente.

Segundo avança o jornal Le Dauphiné Libéré, que cita fonte próxima do caso, hoje foi "um dia crucial", em que foi dado "um avanço muito significativo da investigação". 

Foram encontrados restos de sangue no carro do ex-militar correspondentes ao ADN de Maëlys e o suspeito pediu, depois, para ser ouvido pelos magistrados. Nessa audiência, hoje, Nordahl Lelandais teria dado indicações sobre a localização do corpo e falado em acidente, de acordo com o Le Parisien.

Já o Le Monde confirma que Nordahl Lelandais terá confessado mesmo o crime e conduzido a polícia até um novo local de buscas, próximo de sua casa e a cerca de dez quilómetros da zona onde a criança foi vista pela última vez. 

De acordo com a imprensa local, foram vistas equipas de investigação e busca, com mergulhadores e cães, que poderão estar no encalço de novas pistas. Nordahl Lelandais também está na zona e coopera com as autoridades, guiando os oficiais até ao local onde estará o corpo da criança. 

As autoridades, no entanto, ainda não confirmaram oficialmente o sucedido, deixando os esclarecimentos para uma conferência de imprensa que irá decorrer no final desta quarta-feira.

Recorde-se que a jovem lusodescendente desapareceu em Pont-de-Beauvoisin, em França, a 27 de agosto do ano passado. Estava com a família numa festa de casamento na altura do desaparecimento. 

O suspeito, Nordahl Lelandais, foi detido pouco depois. 
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)