Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
5

Quem é o partido que fez a extrema-direita voltar ao parlamento espanhol?

Vox elegeu 12 deputados nas eleições andaluzas do passado domingo.
3 de Dezembro de 2018 às 14:37
Santiago Abascal, líder do Vox, partido de extrema direita de Espanha
Francisco Serrano, cabeça de lista do Vox ao parlamento andaluz, e o líder do partido, Santiago Abascal
Santiago Abascal e Francisco Serrano
Francisco Serrano, cabeça de lista do Vox ao parlamento da Andaluzia
Santiago Abascal, líder do partido de extrema-direita espanhol Vox
Santiago Abascal, líder do Vox, partido de extrema direita de Espanha
Francisco Serrano, cabeça de lista do Vox ao parlamento andaluz, e o líder do partido, Santiago Abascal
Santiago Abascal e Francisco Serrano
Francisco Serrano, cabeça de lista do Vox ao parlamento da Andaluzia
Santiago Abascal, líder do partido de extrema-direita espanhol Vox
Santiago Abascal, líder do Vox, partido de extrema direita de Espanha
Francisco Serrano, cabeça de lista do Vox ao parlamento andaluz, e o líder do partido, Santiago Abascal
Santiago Abascal e Francisco Serrano
Francisco Serrano, cabeça de lista do Vox ao parlamento da Andaluzia
Santiago Abascal, líder do partido de extrema-direita espanhol Vox

O novo partido espanhol de extrema-direita, Vox, não tem ainda cinco anos e já se estreou no parlamento espanhol com 395.978 votos e a eleição de 12 deputados nas eleições regionais da Andaluzia, no passado domingo. O fenómeno político toma lugar 36 anos após o último deputado com ideias do género deixar o parlamento em Espanha.

A líder de extrema-direita de França, Marine Le Pen, congratulou a vitória nas redes sociais. "Desejo intensas felicitações para os nossos amigos do Vox, que tiveram um resultado muito importante para um movimento jovem e dinâmico", afirmou a ex-candidata francesa à presidência.

O Vox foi criado por um antigo militante do partido de centro-direita PP, Santiago Abascal, em 17 de dezembro de 2013, com uma ideologia política nacionalista, anti-imigração, contra a independência da Catalunha ou de qualquer outra comunidade autónoma e na defesa do liberalismo económico, ou seja, com pouca intervenção do Estado na economia.

Além disso, o partido é contra o aborto, o casamento homossexual, a lei da memória histórica - que dá nacionalidade espanhola para descendentes de espanhóis nascidos em outros países -, e a lei contra a violência de género.

"Temos a chave para expulsar os socialistas corruptos", declarou Abascal no hotel que estava a acompanhar a contagem dos votos, segundo avança o jornal El País. Afirmações como "Viva a Espanha!" e "Puigdemont, para a prisão!" também foram ditas por outras pessoas que estavam no mesmo local.

O Vox chegou ao parlamento sem um plano de governo específico para a Andaluzia, com exceção dos 100 pontos nacionais que já tinha apresentado no Palacio Vistalegre, em Madrid, no início de outubro. Naquele momento, o partido terá afirmado inclusive que deseja encerrar o parlamento regional para onde acabou por ser eleito.

Outras propostas pretendem criminalizar os imigrantes ilegais, baixar impostos, principalmente para as pessoas com ordenados mais altos, e proteger as touradas. No entanto, os líderes do partido ainda indicam a construção de um muro entre duas cidades autónomas de Espanha na África, Ceuta e Melila, e a suspensão do espaço Schengen enquanto líderes da tentativa de independência catalã estiverem a fugir da justiça para outros países europeus.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)