Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

SOU RESPONSÁVEL PELAS MORTES DE JESSICA E HOLLY

Era o dia mais aguardado do julgamento que está a emocionar a Grã- -Bretanha. Ian Huntley, acusado do assassinato de Holly Wells e Jessica Chapman, começou ontem a depor em tribunal, na qualidade de primeira testemunha da defesa. Nervoso e abatido, o arguido afirmou que entrou em pânico e ficou 'petrificado' depois de Holly cair na sua banheira e da a sua amiga Jessica ter começado a gritar.
2 de Dezembro de 2003 às 00:00
Huntley continua a negar ter assassinado Holly e Jessica
Huntley continua a negar ter assassinado Holly e Jessica
"Aceito que sou responsável pelas mortes" -- acabou por admitir, expressando vergonha e remorso por tudo o que se passou.
Com uma sala completamente cheia, Huntley sentou-se pela primeira vez no lugar reservado às testemunhas descrevendo com pormenor todos os seus movimentos no dia em que que as duas amigas desapareceram, em Agosto do ano passado.
No depoimento Huntley afirmou que convidou as duas amigas para irem a sua casa apenas com o intuito de ajudar a estancar uma hemorrogia nasal de Holly. E voltou a defender, tal como os seus advogados o fizeram na semana passada, que as duas morreram na sequência de uma série de incidentes ocorridos na sua residência. E declarou não ter revelado as mortes porque ele próprio não acreditava no que estava a acontecer. "Gostava de poder voltar atrás. Gostava de ter feito tudo de forma diferente. Gostava que nada disto tivesse acontecido" - afirmou Huntley. E, à beira das lágrimas, adiantou "Aceito a responsabilidade pelas mortes".
"Quando Holly caiu na banheira, permaneci, em pé, à espera de ver algum movimento ou de que ela se levantasse. Entrei em pânico e fiquei 'petrificado'" - declarou mais uma vez aparentando bastante nervosismo. Quanto a Jessica, que gritava em histeria, colocou apenas a mão na sua boca. Mas ela acabou por sufocar.
Após ter pormenorizado como Holly e Jessica morreram, Huntley relatou então o que aconteceu depois: transportou os corpos para o carro juntamente com duas caixas pretas e uma lata de gasolina. O combustível - referiu - era para "destruir qualquer prova", incluindo pêlos de cão e vestígios de carpete. Depois de ter chegado a Lakenheath, em Suffolk, "perto do local onde o pai viveu", parou a viatura, depois de ter avistado "vegetação densa", lançando os cadáveres numa vala. Em seguida, despiu os dois corpos, embora tenha negado que os tocou com intuito sexual. Regou-os com gasolina, pegou-lhe fogo e abandonou o local. As roupas das vítimas foram descobertas posteriormente num armazém da escola onde Huntley trabalhava.
Huntley, de 29 anos, continua assim a negar os crimes de homicídio de que é acusado, admitindo apenas uma acusação de conspiração para perverter o curso da Justiça.
Mas a sua versão foi questionada por um patologista, Nat Cary, segundo o qual é "no mínimo improvável" que Holly tenha morrido afogada em escassos centímetros de água. Quanto a Jessica, Cary afirmou ser impossível matar uma criança saudável de dez anos de idade colocando apenas a mão na boca. "Seria preciso fazer uma força considerável" - afirmou o patologista.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)